Namoro tempo limite

David, namoro é tempo de conhecer, e não o corpo da pessoa, mais a pessoa. Essas caricias não fazem parte do namoro, muito menos, se ambos são cristãos e desejam um namoro santo. Não se engane. Essa história de só carinho, é armadilha que vc mesmo e o inimigo estão armando para vc cair. Seu namoro está faltando Deus! Limites no namoro livro pdf - Register and search over 40 million singles: chat. Want to meet eligible single woman who share your zest for life? Indeed, for those who've tried and failed to find the right man offline, online dating can provide. How to get a good man. It is not easy for women to find a good man, and to be honest it is not easy for a man to find a good woman. O namoro cristão é diferente do namoro moldado nos padrões que o mundo impõe. O namoro cristão é um tempo que o casal tem para conhecer melhor a personalidade um do outro, aprender a caminhar junto na palavra de Deus e não para realizar o seu desejo carnal, pois este, Deus reservou somente para o casamento. você conhece o guia da reconquistar perfeita? >>>> SAIBA MAIS <<<< O namoro é um tempo maravilhoso, cheio de atração, beleza, gestos de amor e carinho, mas tem horas que só o carinho, a beleza e as palavras já não satisfazem. Queremos mais! O corpo “grita”, pois a pessoa à nossa frente é para nós a mais bela, aquela com quem queremos seguir em frente, aquela com quem pensamos: “Sim, vamos nos casar! tempo limite pra virar namoro Qual a quantidade de tempo que vocês acham o ideal pra transformar o rolo em namoro e não virar “enrolação”? Já conhecemos nossos pais, dormimos juntos, ficamos há 4 meses “sério”, mas ele não me assume. Namoro Online. Maratona de Programação da SBC 2016 - Fase Nacional. Envie sua solução usando o botão . Informações do Problema × Título: Namoro Online. Tempo Limite: 1 seg. Limite de Memória: 256 MB. Pontos: 70 . Competições. Maratona de Programação da SBC 2016, Fase Nacional. Ok Pra ela, esse limite de tempo é estabelecido de acordo com cada casal: “um namoro de dois anos provavelmente tem uma boa duração pra maior parte dos casais, mas eu acho que isso depende do caráter das pessoas envolvidas e de como funciona o relacionamento. # 2 Melhor App de namoro adolescente - Café encontra Bagel. É outro ótimo site de namoro para adolescentes que a maioria dos adolescentes usa. Este aplicativo funciona bem para adolescentes que planejam iniciar um relacionamento. É muito simples de usar devido à sua impressionante interface amigável e de classificação. Loja Virtual. Fale Conosco. Colocar limites O casal de namorados deve estabelecer limites bem claros para a conduta dos dois. Conhecer o outro Namoro é tempo de conhecer o jeito de ser do outro, os erros e os acertos. Namoro cristão [5] – 10 dicas para enfrentar e vencer as tentações sexuais no namoro. Que Deus aprove e abençoe seu namoro! O namoro é um tempo maravilhoso, cheio de atração, beleza, gestos de amor e carinho, mas o casal necessita buscar o limite do dentro do relacionamento. Leia

Senta que la vem história

2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.09.01 22:52 kinoko_okonik Eu sou babaca por não tolerar o comportamento da minha mãe?

(É uma história meio longa) Eu realmente preciso de uma ajuda com isso, vou dar um contexto: eu sou garota, tenho 17 anos, minha mãe me teve muito nova, então quando eu tinha 3 anos, ela conheceu um rapaz brasileiro cuja família morava no EUA e foi embora pra lá, de lá pra cá ela nunca mais voltou, mas conversa diariamente comigo. Eu moro com os meus avós, que eu chamo de pai e mãe, mesmo nossa relação não sendo muito boa a gente convive.
Ok, voltando à história, eu namoro à 9 meses com um garoto maravilhoso, ele me faz muito bem. Minha mãe não gosta dele, mas nunca falou nada sobre, como ele mora perto eu vou na casa dele direto, minha avó gosta bastante dele. Minha mãe fez questão de me ligar, como a gente tava ocupado jogando e dando beijinho eu recusei e mandei uma mensagem de "mãe, eu tô ocupada, depois a gente se fala ok?" Ela não gosta dele, sendo que ela nem conhece ele, e usou disso pra fazer um comentário racista sobre meu namorado (Meu namorado é negro) e reafirmar que ele não gosta dele por coisas que eu disse no passado (Ano passado eu e ele éramos amigos mas nossa amizade tava passando por uma fase ruim já que a gente se gostava mas era muito complicado ficar junto, então eu disse que ele andava muito triste e quieto), ela disse que "ele não dá valor na vida que deus deu pra ele". E eu fui bem clara e falei
Eu: Ainda bem que quem vem aqui sou eu e não você.
Mãe: Opa, olha o jeito que você fala comigo, eu não tô te maltratando.
Eu: Nem eu, mas essa foi uma opinião que eu não pedi, uma piada que eu não gostei (sobre a piada racista que ela fez)
Mãe: Você precisa aprender à rir das coisas, ter senso de humor. Você precisa de pessoas positivas na sua vida.
Eu: Ele é uma pessoa boa, e é mais positivo do que você tá sendo pra mim, ele me faz bem feliz e eu não vou parar de vir aqui porque você quer.
Isso resultou em uma grande discussão que no final eu falei "Desculpa se eu te ofendi". Ela mandou uma mensagem falando que não queria mais falar comigo, ok, passaram 4 dias e eu não chamei ela, não falei com ela sobre nada. Acho que ela esperava que eu fosse chorando pedir desculpa por não aceitar a piada maldosa dela, eu só aceitei o "não quero mais falar com você" e não chamei ela.
Hoje ela ligou para a minha vó, falou mal de mim, do meu namorado, ameaçou parar de ajudar minha vó à pagar as contas. Então eu fui falar com ela, eu comecei à fazer psicóloga faz poucos dias, então eu resolvi torar esse peso das costas pra não precisar encher o saco da minha psicóloga com briga assim e me abri pra minha mãe.
Disse que ela não me conhece direito, que eu quero ser amiga dela, a gente podia resolver tudo isso, pedi desculpa se eu ofendi ele, pedi pra ela me ouvir e disse o quanto meu namorado me faz bem.
Ela me mandou aseguintes mensagens: "Você tá sendo dramática, eu não fiz nada demais e você começa à gritar e ser assim" "Eu não tô podendo com esse tipo de relacionamento, isso é tóxico" "Você tem idade o suficiente pra saber o que é certo e o que é errado"
(Lembrando que eu não gritei com ela afinal em todo esse tempo a gente só trocou mensagens no Whatsapp.)
Eu disse: Ok, se você tá me fazendo mal e eu tô te fazendo mal, eu não vou mais voltar na conversa, desculpa. Eu só queria que você fosse minha mãe e minha amiga.
Ela mandou um áudio de 3 minutos falando pra eu me pôr no meu lugar, eu não sou a dona do mundo, eu nao sou a "fodona". Eu disse que eu nunca disse isso, ela tava pondo palavras na minha boca, ela respondeu falando que eu coloquei nela erros que ela não cometeu e ela é a única que me apoia.
Segue a conversa:
Eu: Eu desculpa, você que tá na defensiva.
Mãe: Claro que eu entrei na defensiva, vocês só me atacam, uma hora a pessoa precisa se defender, não sou saco de pancadas.
Eu: Ninguém tá te atacando, eu falei como eu me sinto, foi pra isso que você me colocou numa psicóloga. Eu não gritei com você, eu não briguei com você, só tô tentando conversar.
Mãe: Coloquei pra ver se você para de ser egoísta, te ensinar à ser mais humana.
Eu: Ela não é professora, ela tá lá pra conversar.
Mãe: Você viu qual o seu erro? Não importa quem esteja errada, eu não vou discutir com ela e cobrar dela uma opinião que não é minha. Se você tem uma opinião, guarde pra si.
Eu: Digo o mesmo, guarda a sua opinião sobre o meu namorado.
Mãe: Não é opinião, é conselho.
Eu: Mas eu não pedi!
Mãe: Você sabe que eu faço brincadeira.
Eu: Eu sei, mas eu não gostei, simples, o limite do humor é quando magoa alguém. (E isso magoou meu namorado, ele ficou extremamente incomodado)
À partir daí ela quis me dar sermão, falou que não vai pedir desculpa, falou pra eu só chamar ela quando eu souber conversar e eu cansei de ser lógica e disse "Ok, eu vou te bloquear, eu cansei de tentar falar com você em paz, você não entende mesmo."
Ela me ligou URRANDO de raiva, disse que eu era uma desgraçada ingrata, eu tava de castigo, não ia fazer mais nada pra mim, se soubesse que eu sai de casa vai tirar tudo que eu tenho, vai cancelar a psicóloga.
Eu quero saber, eu fiz errado em algum momento? Eu não vou deixar ela magoar a pessoa que mais me faz bem nessa vida de forma alguma. Alguém tem algum conselho?
Update: ela me mandou mensagem falando que me mandou dinheiro pra comprar coisas, eu falei "não quero, manda pra (minha vó) pagar conta", eu tô tão brava com ela tentando me comprar que não cabe em mim a raiva.
submitted by kinoko_okonik to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.27 21:34 Ultimecia- Desabafo sobre pensamentos ruins que me atormentam (+18)

Ola pessoal, depois de muito pensar, e me perguntar se deveria fazer esse texto, venho aqui pra desabafar um pouco, pois não tenho um ciclo social muito grande pra o qual eu poderia contar essas coisas, e as poucas pessoas que eu poderia contar, Não seriam diretas e sinceras. Como o texto também é bem constrangedor, acredito que um leve anonimato deve me ajudar a se expressar melhor.
Marquei o texto como +18 porque usarei palavras bem explícitas aqui para melhor entendimento, porém, ciente das diretrizes da comunidade, caso o texto seja ofensivo ou afete alguém menor de idade, gostaria que fosse removido o mais rápido possível, me desculpem se acabar sendo ofensivo ou algo do tipo, espero não ultrapassar nenhum limite aqui. Mas vamos lá.
A 3 anos atrás eu conheci uma garota do meu antigo emprego (tenho 23 anos, isso não fere meu anonimato). Essa garota era perfeita e muito fofinha, tinhamos a mesma idade e nos demos super bem, estávamos solteiros, e depois de 6 meses nos conhecendo começamos a namorar. Namoramos por uns 2 anos, e nesse tempo aproveitamos muito a companhia um do outro, foi tudo perfeito, sem brigas e sem desentendimento, até que começamos a nos conhecer de mais. Sempre fui um cara reservado, antes dela só namorei uma pessoa, por 3 anos, minha única experiência sexual foi com essa pessoa, e após o termino nunca me relacionei como mais ngm, porém, essa garota que conheci no meu trabalho (vou chama-la de Yomawa, nem sei o pq :v) ja havia tido muitos outros caras no passado. Conversando com ela, descobri que fui o primeiro namorado dela, porém, ela ja havia ficado e tido aventuras adultas com mais de 15 caras no total, alguns em festas, faculdade, e todo o resto, com alguns mais de 5 vezes, ja havia feito menage e outros desejos sexuais que realizou por curiosidade. Confesso que me surpreendi, uma garota tão fofinha e delicada ja ter passado por isso me abalou um pouco, e depois que eu fiquei sabendo dessas coisas, nosso namoro desandou. Comecei a criar uma espécie de paranóia na cabeça, de nunca ter dado um prazer tão bom pra ela em nossas relações na cama. Eu tinha alguns fetiches e curiosidades, e ela, ja havia realizado todos com os caras anteriores. Com o tempo essa paranóia de me sentir insuficiente foi tomando conta de mim, até que cometi o erro (ou não) de perguntar se eu ja havia sido o melhor com ela na cama. Ela disse que não, disse que avalia certos pontos nas relações, como preliminar, oral, beijo, penetração, vibe e etcs. E que desses pontos, eu tinha sido o melhor em preliminar e sexo oral, maaaaas, um dos piores em penetração, disse que ja tinha se relacionado com outros caras que proporcionaram um prazer enorme pra ela, e que achava difícil eu superar. Uma coisa que amo nela, é a sua sinceridade, eu odiaria sentir que estou sendo enganado, e a verdade apesar de doer, é o que eu prefiro. Desde então eu tenho me empenhado e dado o melhor de mim, para "ser o melhor" de cama. Eu nunca tive esse orgulho macho (como prefiro chamar) de querer ser o mais fodao em tudo e bla bla bla, mas isso tem me atormentado, e tem me impedido de ser feliz.
No começo ela acreditava que eu poderia ser o melhor na penetração e bla bla bla, mas agora ela pede pra eu não criar esperanças ahebhahehe que do jeito que estou (estou dando o maximo que consigo e fazendo treinos constrangedores de desempenho sexual no meu quarto) posso levar quase 1 ano pra conseguir ser o melhor do melhor. E isso tem me atormentado tanto que estou ficanso triste de vdd, me sinto insuficiente, quando estamos juntos e vejo ela gritar e gemer de prazer na cama, penso logo : - Se ela se contorce desse jeito comigo, imagina com o cara que já comeu ela melhor. Aaaaaaaaahh é horrível, me desculpem pela forma de falar "comeu" mas não consegui pensar em algo menos machista. Imagina você namorar uma garota que diz "meu namorado não foi o cara que me comei mais gostoso, desculpa, estou sendo sincera".
Ela diz que não liga pra isso, que o que sente comigo nunca sentiu com ngm, que nosso amor é pfto, que eu trato ela como uma Deusa e isso motivz muito ela todos os dias, ela chora só de pensar em me perder, e de vdd combinamos em tudo. Gostos, musicas, animes, séries, jogos, ela é perfeita, e eu sou o cara que nem consigo dar um prazer suficiente na cama, me sinto ridículo por isso, mas penso que quando começamos a tranzar, ela tem uma expectativa de ser bom e maravilhoso, e acaba não sendo, ela acaba esperando que seja bom como os outros caras, e acaba não sendo. Ja imaginou ela ter aquele prazer como referência sempre que pensar em sexo ? E não no meu ? Eu não consigo ser eu mesmo desde que isso aconteceu, e me sinto tão mal que penso em terminar. Estou mt agressivo com as palavras e muito decepcionado comigo, esse relacionamento está me deixando mal e me fazendo sentir a cada dia insuficiente, e ela não tem culpa, nunca seria capaz de culpa-la por falar a verdade, é a qualidade que mais amo, mas estou perdido. O relacionamento é mt mais que sexo galera, mas sinto que a cada segundo que passa, os caras anteriores estão ganhando de mim, sei la, é como se eu estivesse perdendo (???) Estou paranóico, queria desabafar, penso em ir em um psicólogo ou sexólogo, mas não sei mais o que fazer, de vdd.
Me desculpem se ficou mt grande este desabafo, ou se acaba ferindo alguma diretriz ou algum menor de idade, pfvr excluam se for o caso :(((
Ass : O cara que não foi o melhor da sua namorada
submitted by Ultimecia- to desabafos [link] [comments]


2020.07.27 02:33 RealityCompetitive24 Como se relacionar amorosamente sendo jovens e com a vida muito instável

(Conta throw away pois meu namorado me segue na minha conta principal)
Gente primeiramente queria dizer que essa é uma questão minha que trato na terapia tem um tempo, mas também queria saber a opinião de vocês.
Estou em um relacionamento de 9 meses com um menino que amo muito e gosto do nosso namoro em vários aspectos. Porém tem um problema que pesa bastante pra gente: estamos em momentos da vida muito diferentes e sentimos dificuldade em conciliar nossos objetivos individuais com os objetivos de casal, tanto ele como eu.
Eu nasci em uma cidade x do nordeste e faço faculdade e estagio numa cidade y do sudeste. Antes da pandemia, voltava geralmente 2x pra minha cidade natal ver amigos e familia. Atualmente estou temporariamente na casa dos meus pais na minha cidade x, trabalhando em homeoffice e com aulas ead, vim pra cá bem no inicio da pandemia. Assim que minhas aulas ou o estagio voltarem, pretendo regressar a cidade y.
Meu namorado é da minha cidade x e mora com a mãe. Apesar de frequentarmos um ciclo social próximo, nós nos conhecemos a distância quando eu estava na cidade y. Nosso namoro começou quando ele resolveu viajar pra me conhecer na cidade y. Desde então, revezamos nossos encontros... ele passa um mes comigo la, nas minhas ferias volto pra minha cidade (sim haja dinheiro pra passagem risos). Porém a distância sempre foi um problema pra nós e sempre que tentamos fazer planos para ficarmos definitivamente juntos no futuro, algo no presente acaba não saindo como o esperado.
Estamos passando a pandemia juntos na casa da minha mae desde que cheguei em março, esta sendo o maior tempo que já passamos juntos. No inicio do relacionamento ele tinha planos de morar comigo na cidade y. E no inicio estava tudo certo, porem ele começou a enfrentar alguns problemas familiares que o fez começar a considerar outras possibilidades.
Para ele se mudar pra cidade y, precisa de apoio financeiro da familia e isso está completamente fora de questão agora. Eu também sinceramente não queria voltar a minha cidade natal e gostaria de fazer minha vida na cidade y, pois tambem tenho muitos problemas na minha família e nao gosto da minha cidade natal, apesar de suporta-la. Eu tenho meu dinheiro, mas também dependo da minha família financeiramente em alguns aspectos... tenho sonhos de aqui a algum tempo fazer um intercambio também. Já estou perto de me formar e sinceramente nao sei bem o que vou fazer depois disso, estava pensando em arranjar um outro trampo na cidade y e tentar me manter financeiramente por lá (inclusive estou fazendo varias entrevistas pra tentar mudar de estagio)... mas tudo isso depende de circunstancias externas, se eu nao conseguir um emprego talvez precise voltar para a cidade x.
Nós ja nos abrimos e conversamos bastante sobre isso e nao conseguimos um consenso sobre o nosso futuro como casal... parece que os caminhos e quereres estão divergindo demais. Porém, nos amamos e temos um sentimento forte um pelo outro e ai que fode tudo, principalmente pra mim.
O x da questao é: A ideia de um término é insuportável pra mim. Mesmo que ele não precise ser agora, a minha mente acaba antecipando esse evento e eu me sinto triste. Nós já conversamos sobre isso abertamente e deixamos como possibilidade no futuro. Mas é simplesmente uma ideia que me da um nó gigante na garganta. É algo tipo "Não quero terminar com voce de jeito nenhum mas as circunstâncias externas não estão ajudando e não estou conseguindo enxergar outras saídas a muito longo prazo." Eu sei que talvez pareça besteira, eu me sinto muito besta inclusive. Mas é uma questão muito delicada pra mim. Só de pensar as lágrimas começam a cair. Estamos dispostos a fazer tudo o possivel dentro de um limite pra que a relação dure, mas só a vontade e o amor não são suficientes, dependemos de outras circunstancias.
Esse não é o primeiro relacionamento que tive, mas é o primeiro que tenho na fase adulta e mais concreto. Eu nunca tive um relacionamento que durasse mais de um ano, mas os terminos ate entao foram por questoes pessoais minhas e não por circunstâncias externas. Sinceramente, nao sei muito bem como fazer as relações durarem nesse sentido e me pego pensando como é dificil se relacionar, principalmente no inicio da fase jovem adulta.
Enfim é isso gente, em suma: tenho muita dificuldade de lidar com essas incertezas no relaciomento e com as frustrações dos meus planos de vida a 2, mas a ideia de terminar o relacionamento também é assustadora pra mim... parece que estou aproveitando o tempo que tenho com ele pra deixar a vida definir nossos destinos, mas essa ideia do termino é um monstrinho que fica assolando minha mente e me faz ficar triste.
Eu cheguei a um ponto que ele nota que fico triste sempre que ele fala do futuro dele sem me incluir. Dai ele me pergunta se ta tudo bem e se eu quero conversar com ele... e eu nego e explico que nao tem o que conversar pois ja conversamos sobre o assunto... Pq cara o que vou fazer sabe? O que eu vou falar? Entendo que é um sentimento que tenho que lidar sozinha, mas sinceramente não sei como.
submitted by RealityCompetitive24 to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 16:26 fobygrassman ENCONTRE COROAS CASADAS HOJE

ENCONTRE COROAS CASADAS HOJE Conheça coroas, MILF's, e Mulheres Maduras brasileiras reais em menos de 2 horas, garantido!
Como Pegar Uma Coroa no Brasil Escrito por uma coroa verdadeira casadas
Quero namorar com uma coroa casada! Como eu namoro com uma coroa? Quais são os melhores sites de namoro de coroas? MILFs e coroas são a mesma coisa?
Não sei dizer quantas vezes já ouvi esta pergunta como especialista em namoro.
Originalmente minha resposta foi simples, pesquise no google sites de namoro de coroas e se compromete com um casal que você goste.
No entanto, há um grande problema com sites de namoro de coroas que afirmam ser focado em torno de mulheres maduras, MILFs, e coroas que estão buscando um homem mais jovem (referido como um "boytoy" ou "filhote".....
Eles não funcionam! E aqui estão 4 razões para isso: Não se preocupe, eu também lhe direi a melhor maneira de garantir um encontro com uma coroa casada ;)
  1. Não há coroas suficientes para dar conta Isto sobre isso, pumas são uma das categorias mais populares de pornografia. Em 2018 foi mostrado que "milf" foi a terceira coisa mais procurada em sites pornográficos. Cada jovem tem uma fantasia de mulher mais velha, mas quantas mulheres mais velhas você acha que estão assistindo a esses vídeos?
  2. A competição é grande! Para cada 1 coroa há 10-20 homens jovens tentando chamar sua atenção. Suas caixas de entrada estão cheias de mensagens não lidas. Minha tia é uma coroa autoproclamada, ela se inscreveu para um site de namoro de coroas uma vez, depois de obter +100 mensagens em seu primeiro dia ela nunca voltou. Então, se você é um cara jovem à procura de uma coroa você vai encontrar alguma competição séria. Pegando sua atenção é quase impossível e mesmo se você conseguir não há nenhuma garantia que ela vai estar interessada.
  3. Coroas não precisam do site Como eu mencionei antes, coroas são muito procuradas. Elas podem gritar pela janela e conseguir uma fila de caras. As coroas são mais propensas a namorar ou dormir com alguém que elas conhecem pessoalmente, elas são da antiga assim. Então, boa sorte competindo com o seu piscineiro, jardineiro, ou filho de amigos enquanto você é apenas um cara da internet
  4. Você precisa estar entre 24-29 para ter uma chance Já existe uma quantidade gigantesca de competição, mas a situação piora. Se você não está entre 24-29 você está em uma desvantagem séria. Uma pesquisa recente de coroas determinou que a idade ideal para um boytoy é 26 anos e a faixa etária média que elas poderiam até mesmo CONSIDERAR está entre 24-29. Há obviamente umas exceções mas são uma porcentagem pequena de um grupo já pequeno.
Disse a verdade sobre sites de encontros de coroas, mas provavelmente ainda está perguntando; OK, eu concordo que os sites de namoro de coroas são um desperdício de tempo, mas o que eu faço em vez disso?
Bem, você está com sorte porque há um pequeno truque muitas vezes negligenciado para aqueles que procuram coroas, sites de infidelidade! Isso mesmo, sites de traição são ótimos para encontrar coroas.
Estão aqui 6 razões porque os sites de traição ganham de sites de coroas para encontrar mulheres maduras:
  1. A grande maioria das mulheres lá são casadas, o que significa que a idade média é de cerca de 37-38 anos, a idade de coroa ideal!
  2. Você está competindo com caras mais velhos Esta é uma vantagem em tantas maneiras. Em primeiro lugar, você vai se destacar de todos os outros caras devido à sua juventude e condicionamento físico. Imagine uma coroa gostosa procurando através de homens perto dela e vendo foto após foto de caras velhos, fora de forma. Homens como seus maridos, que não as satisfazem.... Aí eles vêm através de seu perfil! Você é jovem, você está em forma (especialmente em comparação), e você está confiante. As chances de ela escrever a você é muito maior do que as chances de uma MILF se quer RESPONDER a você em um site de coroa.
  3. Elas não estão à procura de relacionamentos Elas estão em um site de traiçao de casado por isso está muito implícito que elas querem discrição e um relacionamento principalmente sexual. Isto significa que além da primeira ou segunda reunião você é basicamente o seu peguete.
  4. Você pode se destacar com uma foto de perfil! Em sites de traição a maioria dos usuários não tem uma imagem de perfil público de seu rosto. O que é típico é uma foto de corpo como seu retrato público do perfil e então fotos reveladoras em sua galeria privada. Podem compartilhar e revogar o acesso a esta galeria com sua própria discrição com quem quer que elas querem. Entretanto já que você provávelmente solteiro você pode criar um perfil com uma foto pública que inclua sua cara. Isso vai fazer você se destacar 100x vezes mais. As chances são que as mensagens virão antes mesmo de você precisar se apresentar.
  5. Elas etsão solitárias e insatisfeitas com seus maridos. Elas estão em site de infidelidade porque carece atenção de seus maridos. Normalmente, o marido começa a tratá-las como mãe/esposa e já não como um ser sexual. Esta é a sua oportunidade de dizer que elas ainda são sexy e ainda muito desejáveis e acredite que elas precisam/querem ouvir isso desesperadamente.
  6. Elas estão prontas para explorar sexualmente. Estas mulheres estão casadas há anos e o pouco sexo que têm com os seus maridos tornou-se mecânico e "baunilha". Elas estão prontos para apimentar as coisas e são maduras o suficiente para tentar novas experiências sexuais como: BDSM, ménage à trois, dominatrix, etc.
Ok, agora você provavelmente está pensando, "OK, você me convenceu de que os sites de infidelidade são 100x melhores para pegar coroas, mas como eu faço para realmente encontrar uma coroa?" Não se preocupe, siga estas 7 dicas e você vai aumentar drasticamente suas chances de encontrar uma coroa ou MILF em um site de casos.
7 Dicas Para Pegar Coroas Nota: algumas destas dicas são para o uso em sites de traição e algumas são dicas gerais
  1. Mencione a discrição no seu perfil e na sua primeira mensagem. Estas coroas são casados e estão à procura de parceiros casados porque isso garante que ambas as partes serão o mais discreto possível. Assumindo que você não é casado ou comprometido elas vão precisar de segurança de que você é discreto e confiável imediatamente. Considere escrever algo em seu perfil que diz:
"A discreção é muito importante para mim. Eu estou procurando somente parceiras discretas que são mutuamente respeitosas". 2. Mostra que não vai pôr em risco o seu casamento A outra preocupação que as coroas casadas que procuram homens têm é que você homens mais jovens são rápidos para se apaixonar e podem representar uma ameaça ao seu casamento no futuro. Elas não querem estar em uma posição onde você está exigindo que elas se divorciem de seu marido para que ambos possam estar juntos. Elas estão em sites de traição porque elas NÃO querem se divorciar. Assim o que eu recomendo é pôr algo assim no seu perfil e/ou primeira mensagem:
"Não olhando para mudar seu status ou meu, apenas olhando para ver se eu posso encontrar uma boa conexão com limites claramente definidos". 3. Você está disponível! Uma das coisas mais difíceis de se ter um caso é a disponibilidade. Se ambas as partes estão em relacionamentos é muito, muito difícil encontrar um momento em que AMBOS podem fugir de seus cônjuges sem levantar suspeitas. Mesmo quando você concorda sobre um tempo e um lugar, algo pode surgir e um de vocês pode não ser capaz de ir. A boa notícia é que você pode trabalhar em torno de sua programação. Este é um grande bônus então deixe que ela saiba disso! Ela pode nem mesmo perceber o quanto problema programação é se esta é a sua primeira vez traindo. Diga que já que você é solteiro você pode encontrá-la sempre e onde é melhor para ela.
  1. Mostre a ela que você respeita limites. Na verdade, diga a ela que você está ansioso para ouvi-los. Novamente, coroas casadas precisam de discrição e a melhor maneira de ser discreto é estabelecer limites. Pergunte a ela se há alguma regra de discrição que ela precise que você siga. Muitas vezes, são coisas como "não me escreva entre 18h e 23h", "use palavras em código para que se alguém ver as mensagens parecerão inocentes" etc. Tudo isso permite que ela saiba que você está falando sério sobre sua discrição.
  2. Elogie ela! As coroas estão em sites de infidelidade porque seus maridos não as tratam mais como mulheres atraentes e desejáveis. Se elas têm filhos, mesmo que sejam MILFs, é provável que seus maridos as vejam como mães mais do que amantes agora. Elas estão desesperadas por validação que ainda são sensuais e desejáveis e, vindo de um homem mais jovem, isso significa ainda mais!
  3. Acho que você é jovem demais para mim / não é jovem demais para mim? Espere que essa pergunta surja muito. Não se preocupe - este é um bom sinal! Se ela está dizendo / perguntando isso é porque ela está lhe dando a oportunidade de refutar. Se ela realmente se sentisse assim, não responderia a você. Mas agora você está em uma posição crítica; como você responde a isso determinará se você consegue um encontro / relacionamento. Lembre-se de que ela não está falando sério, está testando você. Prepare uma resposta bem pensada a isso com antecedência. Eu acho que este é um bom começo:
“Você realmente se sente assim ;)?” Esta é uma maneira divertida de ir direto ao ponto" "Eu realmente não vejo as coisas dessa maneira. Estou procurando por características como maturidade, confiança, discrição e abertura. Mulheres mais maduras têm mais desses traços e você é incrivelmente sexy." 7. Elas vão pensar que você é imaturo. Imediatamente elas assumirão que você é jovem, excitado e imaturo. Você precisa refutar isso imediatamente. Inicie suas mensagens o mais maduro e profissional possível. Releia suas mensagens e verifique se a ortografia e gramática são 100%. À medida que a conversa continua, você pode se tornar cada vez mais brincalhão, mas a primeira impressão dela precisa ser que você é maduro e inteligente, e não um garoto idiota.
Então aí está, minha opinião extensa e bem pesquisada sobre: Por que sites de coroa não funcionam Onde você pode encontrar coroas REAIS Como você pode maximizar suas chances de entrar em um relacionamento causal com uma coroa Se você leu este artigo e realmente implementar essas dicas, estará dez passos à frente da concorrência e estará no caminho de namorar coroas, MILFs e mulheres maduras.
Ah, e antes que eu esqueça, a pergunta "MILFs e coroas são a mesma coisa?"
A resposta é não. MILF: MILF significa ‘Mãe que eu gostaria de comer’ em inglês. São mulheres com filhos que você acha sexy, só isso.
Coroas (ou cougars em inglês): as coroas são mais velhas, atraentes, mulheres que estão "rondando" explicitamente por homens mais jovens!
O Brasil é um país de trair coroas casadas! Uma em cada dez mulheres casadas encontrou alguém mais de 10 anos mais novo! 8% das mulheres têm encontros casuais com homens muito mais jovens. A maior diferença de idade média entre coroas casadas e amantes é de cinco a dez anos 57% dos homens tiveram um caso com uma coroa casada O estudo constatou que oito por cento das mulheres casadas tiveram um caso com um homem mais jovem Mulheres maduras também são muito atraentes para homens casados. 61% dos homens casados ​​no Brasil têm um caso extraconjugal com uma mulher mais velha. 25% dos homens casados ​​namoraram uma mulher entre cinco e dez anos mais velha. O apetite sexual das mulheres aumenta com a idade, enquanto os homens tendem a atingir o pico em seus vinte e poucos anos. Isso poderia explicar a tendência crescente de coroas casadas em busca de homens. Casados ​​com homens podem ver um declínio escasso no desejo sexual e coroas casadas, eles estão ficando cada vez mais frustrados. Eles agora optam por conhecer um cara que é mais jovem, simplesmente porque sua libido é mais semelhante.
submitted by fobygrassman to coroas [link] [comments]


2020.07.11 12:05 Tistecomsono Eu sou babaca por terminar com meu noivo depressivo?

Olá luba, convidado, papelões, gatos e todos os animais, plantas e seres humanos desse planeta.
Eu sou babaca por terminar com meu noivo depressivo? Eu sou mulher (25), meu ex noivo (28), temos um filho (4)
Pra contexto: Eu nunca tive uma relação boa com meus pais, entrei num relacionamento com meu ex noivo 6 anos atrás e ele me dava muito apoio emocional, eu estava num quadro de depressão forte e ele me deu ânimo pra procurar um profissional e me tratar. Com um ano de namoro nós resolvemos morar juntos e meus pais mudaram da água do esgoto pro vinho, me tratando com amor e carinho e um respeito que nunca imaginei que tivessem por mim, pouco tempo após ir morar com ele eu descobri que estava grávida e minha relação com meus pais só melhorou. Corta pro início do ano passado: Eu tinha acabado de me formar em cinema e estava realizada, poucos dias após a minha formatura minha mãe teve uma parada cardíaca e faleceu, deixando pra mim a loja dela de informática. Eu nunca tinha tocado uma loja e estava me preparando pra entrar como ajudante de produção na globo, minha vida virou de cabeça pra baixo e eu larguei tudo pra não deixar o negócio da minha mãe morrer, meu irmão mais novo (15) ficava na loja comigo fora do horário de aula me ajudando a dar conta de todo o trabalho que se acumulou no meu período de luto e nisso eu passei a ficar muito tempo com meu pai e meu irmão, que moram do lado da loja e longe de mim, até troquei a creche do meu filho nesse período. Eu saia de casa 7 da manhã e voltava 8 da noite, meu noivo estava sempre deitado no sofá com a roupa do trabalho ainda e jogando no celular, a louça na pia, a casa um caos e nem um ovo pra comer ele tinha fritado, e lá vai eu arrumar a casa e fazer comida pra gente jantar e ele levar pro trabalho. Eu nunca tinha passado tanto tempo longe de casa, fui criada do jeito antigo e sempre achei que fosse o certo a mulher dar conta dos filhos e da casa, mas eu já estava no meu limite. Chamei meu noivo pra conversar diversas vezes e ele me dizia que como ele trabalhava de pé e eu sentada, ele tinha mais motivos pra descansar que eu, sendo que ele chegava em casa 4 da tarde. Alguns meses depois disso, eu já estava com asco do meu noivo, eu só mantive relações com ele porque essa era briga que eu não estava pronta pra ter. Eu meados de agosto eu tive uma crise de pressão alta e fui parar no hospital, fiz uma bateria de exames e descobri que estava hipertensa, pré-diabética e grávida, mais especificamente grávida de 4 meses de gêmeas. Elas nasceram prematuras no final de novembro, eu fiquei um mês com elas no hospital e meu irmão junto com meu pai (que não entende nada de computador) tocaram a loja por mim. Em fevereiro meu noivo foi demitido, ele entrou numa depressão forte e não queria sair da cama, insisti que ele fosse se consultar com um especialista, mas ele não quis e logo após meu estado fechou por causa da quarentena, eu entrei em desespero porque não tinha um centavo no bolso, com três crianças e um homem que não levantava da cama pra cuidar. Consegui manter a loja funcionando o suficiente pra viver e pagar meu irmão (que ajudava com as contas da casa dele), trabalhando em casa eu vi meu noivo melhorar, não fazia nada ainda, mas pelo menos pegava as meninas quando elas começavam a chorar e isso ajudava o suficiente pra eu não surtar. Há duas semanas eu precisei reabrir a loja, trouxe as meninas e meu filho pra ficar com meu pai e irmão e estou pagando eles pra isso, assim consegui mantê-los em casa e a salvo enquanto eu tomo todos os cuidados possíveis na loja já que eu infelizmente não posso mais me manter com a loja online. Meu noivo piorou, disse que por causa da depressão não pode cuidar das crianças sozinho, nem se alimentar sozinho, nem levantar da cama sozinho. Ele passa o dia no celular jogando e mexendo no facebook, e nossa última briga foi porque ele queria ter relações comigo e eu não quis e ele saiu pra beber e voltou alterado, achei até que fosse me agredir. Dois dias atrás eu terminei com ele e todos os nossos amigos, incluindo pessoas da minha família estão recebendo mensagens dele e estão me culpando pela depressão dele. Eu não quero voltar, acho que já não o amo mais o suficiente pra ter uma relação, estou morando numa casinha alugada ao lado da loja, meus filhos tem quartos pra eles e sinto até que nossa vida melhorou. Eu sou babaca por ter deixado ele desse jeito e não querer voltar?
submitted by Tistecomsono to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.23 09:30 geo_chan_uwu Ele correu atrás de mim durante o ano inteiro e quando conseguiu o que queria... terminou comigo.

Olá Luba, editores e pessoas em geral que estão a ver esse post, (RESPEITEM A QUARENTENA) Vim aqui para destacar a minha imensa indignação por um garoto que era apaixonada e hoje só quero quebrar a cara.
Isso tudo iniciou-se no ano de 2019 quando eu estava me recuperando de um término conturbado e vários problemas pessoais,foi então que me chamaram para um evento da igreja (Eu precisava me distrair,estava mentalmente esgotada,então acabei aceitando). O evento durava TREIX dias (até ai tudo bem),mas no segundo dia houve uma apresentação sobre a comunidade LGBT e como isso era contra a igreja (detalhe não tão importante para a história: sou bi) e após isso fizeram com que nos uníssemos em grupos e lá eu conheci o segundo maior erro da minha vida,vamos chamá-lo de CARLS; No final da apresentation,o menino e eu ficamos batendo papo como quem não quer nada até que acabamos trocando os nossos números. No terceiro e último dia,após a finalização do evento,CARLS apresentou-se para minha mãe e acabou nos acompanhando até em casa.
O tempo passou e ficamos um tempo sem nos falar,mas do nada voltamos e isso durou tanto tempo que acabei me acostumando com a presença dele em minha vida....CARLS me levava em casa,me levava ao curso,me ajudava com física....para resumir ele era o boy magia que eu sempre quis. Um dia ele se convidou para me buscar no colégio e quando estávamos indo embora ele tirou um anel do bolso e me pediu em namoro (é agora que a desgraça começa,meus amigos). Eu fiquei meio em choque,então pedi um tempo para pensar (clássico). Só para constar: pensar para mim significa chamar as friends e surtar analisar com elas a situação,após feito isso,a trouxa aqui mandou uma cartinha estilo "Para todos os garotos que já amei" e o aceitei em namoro.
AGORA PULAMOS PARA A PARTE EM QUE O AMOR DEIXA DE SER BELO E SE TORNA UM INFERNO:
Em pouco tempo de namoro ele começou a fazer algumas exigências como mudar meu jeito agitado para ser mais quieta e recatada,até ai eu aceitei,afinal quem nunca mudou algo em si para satisfazer o parceiro? Mas isso não era tudo,Carls era extremamente ciumento (no começo pq depois ele me largou de lado),ninguém podia sequer olhar para mim que ele ficava todo rabugento comigo o dia inteiro... EU NEM SEQUER PODIA SAIR COM AS MINHAS AMIGAS SEM ELE caso ao contrário ele ficava chateado e como me importava muito com ele eu não saía com elas sem o bendito,o que FARLS,minha melhor amiga, muito irritada e com uma pulga atrás da orelha em relação a ele.
O relacionamento chegou ao limite quando o Carls chegou em minha HUMILDE residência e chamou meus pais para conversar dizendo o seguinte: "Senhor Trals,a atitude infantil de MOLEQUE (Ele usou esta exata palavra pq dizia que via meu pai como uma criança) que o senhor acaba transmitindo para a sua filha acaba a afetando e eu acho que o senhor deveria ser mais sério,ser o homem da casa."
ELE TAMBÉM FALOU NA CARA DOS MEUS PAIS QUE EU OS ODIAVA.
Meu pai ficou tão irritado que jogou a garrafa no chão e saiu de casa e para piorar o CARLS foi atrás dele para continuar mostrando sua visão sobre o meu pai e suas atitudes em relação a mim (Eu estava tão assustada que não conseguia falar ou sequer defender o meu pai;fiquei com tanta raiva de Carls por ter dito tantas coisas desnecessárias e fiquei ainda mais rancorosa com ele quando o meu pai veio me perguntar CHORANDO se eu não o amava mais)
Eu obviamente não queria mais falar ou sequer olhar para Carls e ele exigia que eu passasse mais tempo com ele (mesmo depois do que o DESGRAÇADO fez e mesmo que estivéssemos em quarentena) sendo que ele mesmo dizia,quando eu ligava,que preferia ficar SOZINHO...
As coisas finalmente chegaram ao fim de fato no dia 21/06/2020,quando ele me mandou um print de uma conversa que estava tendo com algum amigo falando que não estava sentindo a mesma coisa que eu (no caso oq eu estava sentindo era ódio,mas tudo bem),então eu liguei para ele e nós começamos a falar sobre o assunto,foi ai que ele falou da seguinte maneira: "EU ESTOU COMEÇANDO A ACHAR QUE O QUE A MINHA MADRINHA ME DISSE SOBRE VOCÊ NÃO ME MERECER É REAL." (Nesse momento eu fiquei em prantos *nota da amiga que está escrevendo:prantos significa que ela ficou me mandando áudio chorando e fez com que eu me queimasse de tanta preocupação*)
Observação da amiga Farls parte 2: ELE TINHA 18 anos e ela 15 QUANDO COMEÇARAM A NAMORAR e hoje a amiga maravilhosa que está escrevendo (brink's) recebeu uma mensagem do BENDITO CARLS e devido a isso a senhorita que sofreu todo esse drama de telenovela mandou um áudio muito "amigável" para ele *segue os prints - estão na ordem* https://imgur.com/lkiRCDz - https://imgur.com/JwrdcDU - https://imgur.com/mCugeOX - https://imgur.com/oLjeZlf (e só para lembrar,enquanto estavam em ligação ele a instigou a terminar com ele pq ele mesmo não tinha CULHÕES para terminar com ela!Ele a fez parecer como a culpada da história e agora fica mandando mensagem para todos os nossos amigos dizendo que ainda não acabou e que quer falar com ela mesmo ela tendo dito antes de bloqueá-lo que se ele quisesse falar mais alguma coisa deveria falar naquela hora,pois não haveria mais chances.
submitted by geo_chan_uwu to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 03:26 SucodeTudo Uma historia "feliz"?

Ahoy Lubiscode primeiramente desculpe pelos erros de português,estive adiando muito pra escrever este texto mas acho que ja esta na hora,essa historia é sobre a minha vida quem sou e porque estou como estou,quero que analise e me diga se sou o babaca kkk,sem mais delongas irei começar o texto Bom dia(talvez noite)luba,convidados,gatos e barba do luba,a minha historia começa a 5 anos atras,eu tinha 10 anos(faça as contas)bem pela minha idade não poderia imaginar muita coisa,mas ja tinha rola pa de coisas na minha vida,tipo:meus pais se separaram,minha vó tambem,as 2 arranjaram outros caras,meu avodrasto batia na minha vó,o meu padrasto era um [email protected],minha mãe se separou de novo,se casou com um velho,se mudou pra casa dele e eu tambem to morando no centro e sai do interior. Pode não ser muita coisa mas pra mim na quela idade foi dificil,ver tanta coisa passando e tanta coisa acontecendo me deixou louco,eu fiquei muito mau mas tentava não demonstrar muito isso meu novo padrasto era(é) muito agrecivo com todo mundo inclusive eu,então eu não podia encomodar ele,ficava no meu canto vendo youtube,jigando algum jogo ou estudando na maioria do tempo,ocupava minha mente com essas coisas pra não piorar a situação Como estava numa nova cidade sozinho e sem amigos minha unica chance foi a escola,mas mesmo antes eu sempre fui meio anti-social,minha familia era pobre mas minha mãe trabalhava muito pra me dar tudo oque eu queria,e sou grato a ela por isso,mas a ansiedade dela e a tendencia depressiva da minha vó(que entrou em depressão quando eu e minha mãe saimos de perto dela e deixamos a vó sozinha com aquele monstro em casa)pesou muito na minha vuda social. Então fazer amigos sempre foi muito complicado. Kas quando eu entrei na escola daquela cidade eu conheci algumas pessoas,comecei a me dar bem nos esportes na medida do possivel é claro e tambem minhas notas subiram mais do que o normal,comecei a pensar nos testes pra federal(e consegui lubisco),mas como tudo que é bom acaba rapido,uma menina linda,com uma franjinha muito fofa destruiu meu mundo e um amor "platonico" acabou com aquela minha unica esperança que era a escola. A desilusão amorosa foi forte,mas o amor foi maior,insisti reconhecendo os limites,não invadia a sua zona de conforto e aceitava o não mas eu não podia me livrar daquele sentimento,e aquele sentimentp continuo durante 4 anos,4 anos luba,por mais que eu seja uma criança 4 anos não é qualquer coisa,eu realmente amo ela,e ela é alguem especial na minha vida,ela me salvou de um suicidio e quase me pois em um quando disse não,ela é tudo pra mim,e depois de 4 anos ela aceitou. Eu fiquei muito feliz luba,sério,tipo,imagina só:"a menina que você amou por 4 anos te aceitou" e mano ela nunca me desrespeitou nesses 4 anos,sempre sendo alguem muito gentil,fofa,estudiosa tipo ela é perfeita cara. Mas Luba,depois de 4 anos nós começamos a namorar(agora no caso completamos 6 meses)eu sou uma criança ainda com 14 quase 15 anos não sei de nada sobre o mundo,mas eu sinto isso e não é facil de simplismente ignorar um sentimento. Eu amo ela Luba,mas ela demorou 4 anos pra me aceitar em namoro,aconteceu algumas coisas que ela veio a me falar a poucp tempo mas ainda assim,não me convenceu,tenho medo de sme querer ter precionado ela pra que eu força-se ela a gostar de mim,e criando um falso amor,não sei se quero continuar,uma insegurança anda me tomando,pela minha aparencia,fisica e cobtexto do relacionamento,mas ao mesmo tempo tenho medo do sentimento ser real e eu ferir os sentimentos dela. Gostaria que você me ajuda-se nessa lubisco,ja falei com minha mãe mas ela se recusa a me pagar um psicologo,pois de acordo com ela :"não precisa,é só falar com a gente que a gente te ajuda"não querendo desmerecer meus pais mas isso é algo que eu não quero falar com eles,minha vida pessoal não é algo que eu sinto conforto de falar com eles. De qualquer forma eu aprendi muito nesses 4 anos de solidão,li muito,sofri muito,estudei muito,conheci muito mais sobre mim,conheci amigos,d&d,cs,lol tipo isso querendo ou não marcou a minha vida e me formou a pessoa que sou hoje,então de qualquer forma devo muuto a ela,eu te amo mor ♡ Eu e minha namorada assistimos você e tanto eu quanto ela somos muito seus fãs <3 e desculpa mor,sou falho de mais pra alguem tão perfeita como você,desculpa.
submitted by SucodeTudo to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.14 10:51 karlswith_k "Como perdi TRÊIX pessoas importantes na minha vida em menos de TRÊIX meses".

 ♡Oiii Luba, editores, falecidos papelões, gatas e pessoas que estão a ver, hoje irei contar a vocês a minha incrível história de... 
"Como perdi TRÊIX pessoas importantes na minha vida em menos de TRÊIX meses ... ;-; " (luba se possível tem como tentar fazer sotaque nordestino? Pq sou nordestina e acho fofo quando você tenta imitar nosso sotaque ♡).
Eu comecei um namoro(inclusive meu PRIMEIRO namoro) no ano de 2017, que durou até o finalzinho de 2019. O meu namorado(vamos chama-lo de "baka") era muito possessivo, tinha ciúmes de todo ser vivo que chegava perto de mim, queria até controlar minhas conversas pelo Whats, como se já não bastasse queria governar o jeito de como eu me vestia(tamanho de saia, vestidos, tipos de brincos e etc.), eu estava ficando extremamente sufocada com esse relacionamento. Na metade do ano passado eu havia conhecido um garoto chamado "Farls", que era super legal, logo viramos super amigos e como qualquer namorada, contei para o "Baka" sobre o "Farls", o quanto ele era legal, um ótimo amigo e mesmo com ciúmes nítidos, ele virou amigo do "Farls", isso me deixou super feliz.
Na minha cabeça, eu acredito que devido a sufocante relação que eu tinha, acabei me apaixonando pela atenção e compreendimento do "Farls", por esse motivo achei melhor eu dar um tempo no meu namoro com o "Baka" e de algum modo ver se o que eu sentia pelo "Farls" era verdadeiro ou não, já que ele também havia se apaixonado por mim(deixei claro para o meu namorado que queria ver se o que eu sentia era real ou não).
Em um belo dia, após às aulas, fui com o "Farls" e alguns colegas da minha turma comprar ingredientes para as comidas da festa da guria que iria aniversariar alguns dias depois, compramos o que precisávamos e cada um seguiu seu rumo, mas eu e "Farls" decidimos ir juntos até um determinado lugar onde ficava perto do ponto de ônibus que ele precisava ir e perto do caminho para eu voltar para casa, mas no percusso, meu namorado viu nós dois "JUNTOS" e decidiu fazer uma novela, na frente de todo mundo(observação: eu ODEIO passar mico, ooou ser humilhada em PÚBLICO), nisso o bonitinho(o "Baka") chegou por trás de nós dois e nos empurrou em direções opostas querendo nos afastar(obs.: estavamos longe um do outro, não estavamos nos esfregando em NENHUM MOMENTO), ele olhou para mim e gritou:
Mesmo com muita vergonha do que havia acontecido em PÚBLICO, eu e o "Farls" seguimos nossos rumos para irmos para nossas casas, após alguns minutos que eu havia chegado em casa, minha mãe me avisa a chegada do meu namorado, fui até ele e quando ele me viu começou a falar um monte de coisas idiotas pra meu lado, incluindo palavrões, apontando dedo na minha cara falando coisas que eu não fiz, dizendo que sabia de traições que EU havia "COMETIDO", porque ele tinha vários amigos deles na minha escola que ficavam de olho em mim e falaram isso pra ele. Depois de me irritar no meu limite, ele fala que terminamos e o bonito faz o drama de bater o portão da minha própria casa na minha cara, saindo correndo com cara de choro dali. Eu simplesmente caguei pra ele, pois, depois de todo aquele acontecimento as chances de eu ficar com ele foram de 10% para -1000%.
Alguns dias depois, terminamos oficialmente, contando pra os meus pais. Então, eu FINALMENTE estava livre. (Observação.: além do "Farls" que gostava de mim e eu dele, meu melhor amigo que eu conheci um ano antes que o "Farls", [chamaremos ele de "Garls"], também gostava de mim, inclusive já havia me contado sobre os sentimentos dele pra mim antes, mas eu simplesmente estava louca de amores pelo "Farls", começando um namoro com ele e magoando meu amigo "Garls").
Meu namoro com o "Farls" não durou muito tempo, porque percebi que meu sentimentos por ele não eram mais a mesma coisa, então resumindo...
Terminei um namoro extremamente tóxico, iniciei outro relacionamento que eu achava estar extremamente apaixonada, sem estar e acabei magoando meu melhor amigo, que inclusive, estou gostando dele agora, mas ele deixou claro que estou na "FRIENDZONE"...
Eu fui babaca em ter seguido meus sentimentos pelo "Farls", ter iniciado outro namoro apenas um mês depois do término do meu outro namoro passado e por ter ignorado os sentimentos do meu amigo?? Sim ou com certeza? ;-;
Espero que tenham gostado da pior história do mundo haha, bjs Lubisco, te amo. View Poll
submitted by karlswith_k to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.13 15:03 Yunna_sata Quando eu namorei um Nice guy que tentou ir além dos limites

Olá Luba, editores, Tuxo, seres visíveis e invisíveis, e turma que está a ver.
Essa é uma das histórias que quando eu me dei mal em um relacionamento. São 4 anos de história, por isso ficou grande, mas tenham paciência comigo.
Minha história é a seguinte. Estávamos no início de 2016, eu tinha 12 anos e estava no 7° ano, eu tinha acabado de mudar de escola. No terceiro dia de aula peguei uma conjuntivite horrível e fiquei mais de uma semana de atestado (já começou tudo ótimo). Mais ou menos em abril conheci duas pessoas do 1° ano do ensino médio (a escola deles fica literalmente descendo a rua). Eles me apresentaram a mais dois garotos, um que não precisa ser mencionado e o dito cujo que vamos chamar de macho. Naquela época meus pais era muito preocupados e eu tinha sido ameaçada por um grupo de garotas (depois conto essa história) então sempre que eu pegava o ônibus ou estava chegando eu tinha que avisar meus pais. O macho (que tinha 17 anos nesse ano) perguntou minha operadora e pediu meu celular emprestado pra ligar para a namorada dele, eu emprestei. Ele ficou lá uns três minutos falando com ela, então me devolveu. Na semana seguinte ele me contou que ela tinha terminado com ele. Mas não foi um término normal, ele olhava pra QUALQUER coisa e falava "isso me lembra a Elly" (vamos chamar ela assim). E isso já estava me irritando, mas não falei nada. Então um certo dia decidimos começar a ficar, podia ser bem normal se eu não soubesse que ele estava me usando para esquecer a Elly, mas eu nem me importava pq eu meio que também estava querendo esquecer um forte acontecimento na minha vida (tem relação com as meninas que queriam me bater). O macho não aceitava ser contrariado, ele ficava me mordendo e dando tapinha leves no meu rosto, mesmo eu falando várias vezes que odiava isso, sempre que podia ele falava que a Elly botou 5 chifres nele, além de que ele ficava tentando passar a mão no meu corpo. Quando íamos completar 3 meses só ficando, ele simplesmente me largou e disse que tinha voltado pra Elly, achei super estranho, mas tá neh. Vamos para 2017, eu tinha me afastando um pouco do macho, estava com um novo grupo de amigos, muito melhor ainda por cima. Conversávamos as vezes só por mensagem. Na semana do meu aniversário de 14 anos ele foi me ver (se eu não me engano, nesse ano meu aniversário foi no domigo) então na segunda ele foi me ver [meu aniversário e dia 18 de junho (Quinta que vem ♡) e o melhor amigo dele faz aniversário dia 19] nós ficando e tal. Umas semanas depois descobri que no dia 18 ele tinha pedido uma garota em namoro, então no 19 que eu fiquei com ele, ele estava lá pleno traindo a nova namorada dele, que por consciência tinha o mesmo nome que a ex que "chifou" ele. Em 2018 as coisas estavam bem entranhas, mas nada fora do "normal". Eu tinha conhecido um garoto (vamos chamar ele de Felipe) incrível no meu curso, e eu estava cada vez mais encantada por ele, como o metal que atrai o imã. Mais ou menos nas férias de meio de ano eu decidi me isolar de todos, ou quase todos, eu só conversava com a minha família e com Felipe. A maior parte do meu tempo eu ficava assistindo anime e contando as história pro Felipe, estávamos numa vibe muito boa, e eu já estava suspeitando que estava apaixonada por ele. Até que um dia quando eu estava maratonando meus animes o macho me manda mensagem, por educação respondo 3 horas depois. Ele sempre ficava me mandando várias mensagens me atrapalhando, e se eu demorasse para responder ele ficava putinho. Ficou nisso por alguns dias, eu o ignorava, pq eu estava focada numa pessoa bem melhor. Como em todas as férias, fui pra casa do meu primo, então eu estava lá tranquila fazendo altos nadas, até que um ser começa a me ligar, o macho não parava de implorar por atenção, dizia que falar com ele era a coisa mais importante que eu tinha pra fazer. Mas eu podia ficar babando pelo meu crush, acho isso mais legal. Até que o macho cansa de implorar por atenção e diz que quando voltar as aulas vai me ver. E assim ele fez, no primeiro dia após as férias ele vai lá na escola me ver. Foi ate que legalzinho falar com ele na entrada até que ele tentou me beijar. Quando ele fez isso eu simplesmente entrei na escola. Na saída eu estava com dois amigo o Ron e a Rachel, até que encontramos o macho (ele foi me buscar '-'), subimos até o ponto de ônibus onde os meus maravilhosos amigos me deixaram sozinha com o macho. (Acho que alguém vai ficar com raiva) Ele simplesmente me prenssou na parede e começou a me beijar e a passar a mão em mim, para tentar escapar eu tentava empurrar ele, que se apertava cada vez mais a mim, e já que ele estava me beijando eu tentava morder o lábio dele na esperança de machucar. Eu vi que meu ônibus estava vindo então eu corri pra sair de perto dele. Dentro do ônibus eu briguei com a Rachel dizendo que foi errado ela me deixar sozinha com o macho escroto. Chegando em casa lá estava ele me mandando mensagens, eu falei que aquilo foi errado e que eu poderia denunciar ele por tentativa de abuso. Ele disse que eu claramente estava gostando, que eu deixei ele super excitado, que eu era o amor da vida dele. E falou várias coisas do tipo. Eu joguei na cara dele tudo que ele fez comigo desde 2016, que ele já tentou várias vezes me levar pra cama, que ficava passando a mão no meu corpo, me seguiu até em casa, me mandou fotos do pinguliroliro e que agora tentou abusar de mim em um ponto de ônibus LOTADO. Ele simplesmente ignorou tudo que eu disse é falou que estava querendo entrar pro exército. Eu falei que ele podia ir com a culpa de ter quase abusado de uma menor de idade, ele só riu e disse que foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida e que ele me ensinou a beijar e blá blá blá. Eu bloqueie ele. Em setembro de 2018 eu comecei a namorar o Felipe e estamos juntos até hoje (1 ano e 9 meses). Mas a história não acaba por aqui. Em 2019 eu vou pro primeiro ano, era a mesma escola que o macho estava estudando (reprovou duas vezes no ensino médio e uma no fundamental), o Felipe e a Elly também estudavam lá. Eu era do turno vespertino e todos os outros do matutino, mas o macho sempre esperava eu chegar pra poder ir embora, nem meu namorado fazia isso. O Macho ficava me perseguindo para todos os lados, até que finalmente foi pro exército. Como eu fazia parte do integral eu conseguia ficar mais tempo com o Felipe que também era do integral, até que um dia conheci a Elly (ela tambem era integral), e viramos amigas (o macho escroto sempre dizia que nunca nos daríamos bem), um dia estávamos conversando e eu contei tudo que o macho escroto me dizia sobre ela, inclusive sobre os chifres. Ela me contou que era tudo mentira e que na verdade ele era um cara super abusado, que já tentou forçar ela a fazer coisas várias vezes, e ela também me disse que tem até denúncias contra ele na policia. O ano passou e cultivamos um ódio múltiplo pelo macho escroto, até que ele pareceu lá na escola e me pediu perdão. Ele acha que eu aceitei, mas fazer o que. Esse ano recebemos a notícia que ele iria sair do exército e voltar pra escola, mas não sabemos pq começou a quarentena.
Link para os prints: (http://Prints "Quando eu namorei um Nice guy que tentou ir além dos limites" https://imgur.com/gallery/i4Jrk1U)
Obs: não achei todos então pode estar meio confuso.
submitted by Yunna_sata to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.05 06:21 joaopro777 MANDA AQUELA MENSAGEM DIRETA SEM ENROLAR! A VERDADE DÓI

Já postei algo aqui e acabei voltando... as coisas surgem e desaparecem e nem percebemos o que estamos nos tornando. Se você não tirar três minutos para ler esse texto vaza agora porque vai ficar estranho...
Tudo começou quando tinha dezessete pra dezoito, já namorava aquela mina desde o tempo de escola e acabei descobrindo uma traição meio nada haver mas sempre confiei na minha intuição, perdoei, voltamos, terminamos, voltamos, enfim, aquele lopping infinito que adolescentes passam e só entendem quando são adultos, calma você que ler entenderá tudo...
Na época eu tinha dezoito anos, descobrindo que pra eu ser alguém eu tinha que levantar e caminhar com minhas próprias pernas, sempre será ralado pra todos aqueles que não tem empurrão da família, comecei a trabalhar na empresa onde o pai da minha namorada (a mesma da traição) supervisionava. Afinidade com os pais a mil, já que faziam anos de namoro, eu era o genro perfeito, futuro papai e traria felicidade pra todos.. tentei dar o meu melhor na época eu lembro que nunca reclamava nem quando ia de bicicleta pra escola aos quinze anos, nem quando a corrente caia, nem quando tive que juntar pra comprar meu primeiro carro aos vinte e dois anos, enfim. Depois de descobrir essa traição e por ela ser meu primeiro amor algo se transformou em mim, de amor à ficção de relacionamentos, comecei a entender o real sentido do amor e antes que termine o texto já aviso, ele não existe, sinto muito mas é real.
Lembro de ter batalhado pelo primeiro concurso que passei, da primeira facul que fiz e entrei, lembro de ter ela ali ao meu lado sempre me perdoando já que eu não era a mesma pessoa depois que descobri a traição, comecei a fazer tudo ao contrário e cheguei até namorar outra menina na época que era a melhor amiga dela... tudo começa a ficar interessante quando eu decido reatar mesmo nunca tendo perdoado aquele ocorrido, mesmo sabendo do perigo que haveria se acontecesse de novo, sempre fiquei com a pulga atrás da orelha, mulheres são muito previsíveis e a intuição de alguém atentado capta tudo com uma mente brilhante... seguindo esse percurso já me vi pai de uma menina com “the love of my live” mas uma filha não era suficiente para eu sentir o perdão na alma, eu amava cada dia que passava e via minha filha crescer porque até hoje todo amor pra ela, mas na época lembro que aquilo não me deixava focado no relacionamento e o que qualquer idiota estúpido faz quando se está magoado?! Mais merda, comecei a sair e não voltar pra dormir em casa, fiquei com tantas quanto consegui, vivi o submundo das drogas e me adentrei fundo em uma realidade que divergia profundamente em quem eu era na adolescência..
Não obstante a ser diferente acreditava que nunca mais seria feliz novamente, não por causa da traição eu nem lembrava mas tão forte desse fato, o que doía era saber que estava com alguém que foi capaz de fazer aquilo quando dei todo o amor que tinha em meu peito, veio o segundo filho e nesse meio tempo só pensava em trabalhar para manter tudo em ordem, larguei a faculdade, pedi exoneração de um concurso público, vendi um transporte e abri minha primeira empresa, afinal eu era o homem da casa e você não pensa em desistir quando se tem filhos e obrigações, lembro que nesse tempo estava tão focado que todos os problemas ficaram pequenos, consegui trocar de carro duas vezes no mesmo ano, era dois mil e dezoito e realizei o desejo que sempre tive de viajar de avião, gastei o dinheiro que ganhava na empresa, me capacitando cada vez mais, investindo em conhecimento e então veio o primeiro boom quando tudo estava “encaminhado”, percebi que tudo era uma ilusão, minha mulher já não estava mais ali comigo, eu estava sozinho mantendo uma empresa que já quase completando seu primeiro ano não iria bem, fiquei tão atarefado na época que trabalhava dezesseis horas por dia e quando chegava em casa era o pior marido do mundo, não por escolha mas chegar cansado do trabalho que você já não aguentava mais e ouvir reclamações da sua esposa enquanto tenta dar o seu melhor o tempo todo dói na alma.
O silêncio era minha resposta, voltei ao submundo das drogas, dessa vez com coisas mais pesadas, (edit: entenda como quiser mas nunca ultrapassei o limite tanto em minha vida) vivi o período do ano com o pensamento na cabeça que estava vivendo em uma matrix e não importava as escolhas que fizesse sempre seria uma ilusão pensar que as coisas se e encaixariam já que quando dei todo o meu amor, fui traído, mesmo sendo adolescente isso marcou e essa dor ecoou até o ponto de terminamos, o que tudo indica permanentemente, na mesma época, fui diagnosticado com Bipolaridade por um Pseudo psiquiatra com somente dez minutos de conversa, minha família inteira me olhou com aquele olhar de pena, pra completar, acabei sendo julgado por ter pedido exoneração do Concurso público, ter desistido da faculdade e ter quebrado a empresa, sinto que eu trouxe essa realidade pra mim de uma forma que não sei explicar, como se não tivesse escolha (think the outside box) as coisas iam acontecendo muito rápido..
Hoje, dois filhos, ela, já está com outro, eu, pago pensão e tive que me desfazer de tudo, de cada centavo e me restou dívidas financeiras, restou os olhares de julgamento da minha família por não entender nada e apontarem o dedo pra mim como Bipolar e depressivo. Carrego culpa e convicções que me tornaram a ser quem eu sou hoje.
Consigo enxergar com clareza que existe uma linha tênue entre a realidade e a ficção de ser feliz e triste, de ter sucesso na vida ou ser fracassado. Mas aos vinte e cinco anos (faço vinte e seis dia treze desse mês) minha maior convicção é a minha dor, ela é meu navio e minha bússola é meu desejo de ser “o cara” novamente no futuro, com novas metas e novas conquistas pra alcançar... hoje estou com o “freio de mão puxado” mas quando fecho os olhos consigo sentir até o cheiro do meu próximo carro, da minha casa na praia, mas quando abro os olhos a realidade dói porque surge um pensamento e um questionamento: será que sempre tive tudo e meu dom era reclamar do que já tinha ou será que tudo o que deixei pra traz foi necessário para encontrar alguém que no momento certo e na minha melhor fase fará toda a diferença?
Penso, logo existo. (Amo filosofia)
O que vocês acharam? Fariam do mesmo jeito? Alguém já passou por algo parecido? Escrevam o que quiserem mas não aceito ouvir nada além da verdade das suas almas. Perdoem os erros e a falta de clareza, afinal estou deitado na minha cama e pensando várias coisas ao mesmo tempo enquanto escrevo.
submitted by joaopro777 to desabafos [link] [comments]


2020.06.02 17:43 marqlui Sou babaca por achar que meu namorado é um banana?

Olá, Luba, editores, inexistente possível convidado e turma q está a ler! <3
Eu namoro há quase 1 ano e meio um grt q conheci no 1º ano do ensino médio (estamos no terceiro). Vamos chamar ele de Carls. Enfim, ele se apaixonou por mim primeiro, mas eu demorei mtt para me apaixonar por ele pq ele sempre foi um cara sem um pingo de determinação e eu nunca admirei pessoas assim.. E quando eu digo isso, quero dizer q ele é mtt passivo com a própria vida, ele deixa o pai controlar todas as esferas da vida dele, praticamente: o pai dele controla o seu corte de cabelo, as suas roupas, a sua hr de dormir e, pior!, vive se intrometendo na faculdade q ele vai fazer.. e o Carls nunca soube dar um basta no pai pq teve criação muito abusiva (e a mãe n faz porra nenhuma, deixa o babaca do pai dele fazer o filho de gato e sapato!).
Desde antes de namorarmos, eu já me preocupava com esse problema dele e tentava incentivá-lo, pois queria q ele defendesse sua dignidade diante desse pai merda.. (Ele já é até diagnosticado com ansiedade e já chorou mtt conversando cmg por causa das atitudes desse nice pai).
O problema é que, há quase 3 anos eu falo os meus melhores conselhos, eu dou mil sugestões, eu até me atrevo a falar com os pais dele para defendê-lo.. mas o Carls n toma nenhuma atitude. O pai dele BATE NELE quando é contrariado, a mãe n defende ele com unhas e dentes como deveria e, como o pai é policial, meu namorado n tem coragem de denunciar o pai por esses maus tratos..
E, como eu disse, estamos no ano de vestibular, o ano de focar em conseguir uma vaga pra facul.. Ent eu quase n converso mais com ele pq tô estudando mas, nas poucas vzs q conversamos, é só disso q falamos. E eu até deixo de estudar às vzs pra gente conversar por horas sobre isso, mas n adianta: há anos q conversamos durante hrs, madrugamos sobre isso e temos sempre a msm conversa.. e ele nunca põe um freio no pai, ele subestima a própria situação, ele ri do "defeitinho do pai" (sim, ele trata o problema como uma bobeira) diz q "é difícil dizer não" e fala para q "eu n fique chateada se ele aparecer com o cabelo cortado, pq se ele se recusar a cortar o pai dele bate nele"..
Isso tá me fazendo perder a admiração por ele.. Tô começando a achar q ele é um banana com o pai: ele não reivindica os direitos de filho q deveria ter, deixa o pai fazer o que quer, sem limites e tá optando fazer facul de medicina (sendo q ele quer fazer física) para atender as expectativas desse nice pai. Eu juro q dou meu melhor, dou os melhores conselhos q consigo, passo noites pensando em como ajudar o meu amor.. mas, no final, eu acabo remoendo isso mais dq ele próprio. Ele age como se isso fosse brincadeira, enquanto eu fico dando conselhos q ele n ouve. Há mt tempo eu penso em terminar com ele pq n quero mais ser como uma muleta q n é o suficiente para ajudar ele a andar e pq preciso focar mais nos meus estudos q eu tanto deixo de lado para ajudá-lo.. Há meses, eu tento dar mil chances para ele mudar, já fiz td q estava ao meu alcance, já disse q isso tava prejudicando até o nosso namoro, mas ele n muda.. Ent acho q vou terminar. Eu amo muito ele, nossa história é a melhor coisa q me aconteceu, mas n tenho mais forças para continuar com uma pessoa omissa a si msm.. Digam- me, com sinceridade, eu sou babaca por isso?
submitted by marqlui to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.27 21:21 Margaridadayse Como saber se você realmente ama alguém?

Tenho 25 anos e meu namorado 26. Nós já estamos juntos a 10 anos e eu sinto que amo ele, mas como ter certeza disso?
No começo do nosso namoro ele era bastante problemático, tinha rompantes de raiva e até a avó dele chegou a me falar para terminar com ele. Ele nunca dirigia a raiva dele para pessoas, mas para objetos. Quebrava o controle da televisão quando não estava funcionando direito ou esmurrava o portão quando não encontrava a chave. Esse comportamento me assustava um pouco e nessa época eu falava para mim mesma q nosso namoro era só algo passageiro e eu terminaria a qualquer minuto se ele dirigisse sua ira contra mim.
Diversas vezes no nosso relacionamento nos discutíamos ou brigavamos e eu sentia q ele não seria a pessoa com quem eu passaria a minha vida. Ele me falava palavras ferinas e eu revidava emocionante e ele me pedia desculpas. Eu continuava diminuindo meus sentimentos por ele e isso de certa forma me ajudava a pensar q estava no controle e q eu estaria pronta para terminar se as coisas ficassem mais ruins ou se passassem de limites q eu estabelecia internamente.
Com o passar do tempo ele foi diminuindo os comportamentos negativos e aumentando as qualidades.
Nós sempre nos apoiaiamos nos estudos. Crescemos intelectualmente juntos, passamos pelo vestibular, pela universidade e até pelo mestrado mais ou menos na mesma época e nos apoiando mutuamente.
Ele é a pessoa com quem mais consigo me abrir. Mais até do q com minha própria mãe. Se abrir para com os outros é uma questão problemática para mim, mas consigo falar sobre tudo com ele, no entanto, sinto necessidade de falar sobre nosso relacionamento com alguém de fora, por isso estou usando esse app.
A primeira relação sexual de nós dois foi um com outro e ele sempre foi muito respeitoso quanto a isso. O sexo entre a gente hoje é maravilhoso. Fazemos com muita frequência e é sempre muito bom, nós dois conseguimos gozar e sentir prazer. Sei q pode parecer estranho, mas ele é a única pessoa pela qual eu sinto desejo, não tenho interesse por nenhum outro homem e quando observo outras pessoas olho sempre para as mulheres e nunca para os homens, mas não acho q seja lésbicas, não sinto desejo por mulheres, simplesmente acho as mulheres muito mais bonitas e mais interessantes. Não consigo sentir interesse por nada ligado ao universo masculino e sinto uma forte conexão com tudo q é feminino, sou muito feminina.
Ele me ajudou e me incentivou a aproximar das colegas de universidade q atualmente são minhas melhores amigas. Ele é muito bom em manter amigos. Até hoje ele é próximo dos amigos do ensino fundamental embora tenha feito amigos na universidade. Já eu tinha problemas em manter conexão com as pessoas e ele me ajudou com isso.
Minha família gosta muito dele e a família dele gosta muita muito de mim. Minha mãe trata ele como um filho (se preocupa qnd ele está doente, cozinha mimos qnd ele visita etc) e a família dele faz o mesmo por mim.
No nosso dia a dia nós somos muito carinhosos um com o outro. Estamos sempre nos tocando e fazendo carícias. Tem hora q simplesmente me pego olhando para ele e sorrindo. Gosto do jeito dele, do cheiro, das expressões faciais e com frequência saio de onde estou e vou onde ele está simples dar um selinho ou um beijo na bochecha ou na testa dele e ele também faz isso comigo.
Ele me faz rir e sei q as vezes ele também me acha engraçada.
Nós temos os mesmos posicionamentos políticos e esse é um aspecto muito relevante para nós. Não conseguiria me relacionar com alguém q não percebesse a gravidade da desigualdade social no nosso país e não se posicionasse políticamente contra isso, por exemplo.
Nós envelehecemos bem fisicamente e atualmente nós somos muito mais bonitos e atraentes do q no início do nosso namoro qnd ainda éramos adolescentes. Eu cresci, aprendi a me arrumar e me vestir melhor, fiquei mais bonita e sei q ele me acha muito mais atraente hoje em dia, mesmo eu sendo o tipo dele desde o início.
Nós terminamos uma única vez nesses dez anos. Foi um término breve de duas semanas. A briga foi feia, mas quando ele estava arrumando para ir embora ele se ofereceu para me ajudar a apagar o status de relacionamento sério no face q eu não estava conseguindo encontrar e eu ofereci para ele ficar até a manhã seguinte pq não queria q ele perdesse uma reunião com o orientador dele. Então mesmo tendo terminado nós continuamos preocupados um com o outro.
Nossos principais defeitos no relacionamento hoje em dia é q ele não gosta de fazer as tarefas domésticas e eu reajo emocionalmente nas discussões.
No entanto, não sei se por causa dos pensamentos dos anos iniciais eu sempre fico me perguntando se realmente amo ele, se não deveria tentar outros relacionamentos ou viver um pouco solteira. Eramos muito jovens qnd começamos e fomos o primeiro e único amor um do outro e as vezes parece q isso não é certo hoje em dia, q as pessoas devem ter mais experiências amorosas e q seguir a vida toda com a mesma pessoa não é algo q se deva fazer (até minha irmã já me falou algo nesse sentido). Eu acho q amo ele de vdd, já desisti de assumir um concurso para ficar junto dele, mas fico com essa pulga atrás da orelha. Como ter certeza de q amo ele e q devo continuar a investir e manter nosso relacionamento?
submitted by Margaridadayse to desabafos [link] [comments]


2020.05.13 06:39 BiAang o quão mal essa quarentena tá fazendo pra minha mente(ou a nossa)

1:25 da madrugada 13/05/2020 33 dias pros meus 21 anos
agora pouco eu acabei de assistir o filme A Chegada, mas isso foi só mais um gatilho pro que eu imaginei que viria, eventualmente pra todos, talvez não pra mim, por imaginar uma situação favorável nessa quarentena, onde eu me deleito de jogos on-line e música. não foi bem assim.
eu finalmente senti o quão ruim esse isolamento pode fazer pra nossa cabeça. antes dele eu me sentia muito estável, muito bem, meu namoro ótimo, tudo perfeito(ou quase), porém num baque viemos pra essa situação e de repente não tenho mais vontade de tocar piano, de estudar algo novo, de fazer planos, nem mesmo de transar.
o isolamento social te leva ao limite, mas não só ele, toda a situação de stress e medo contínuo tem dominado os últimos meses e nosso bem estar mental, indo por água abaixo...
-spoiler alert-
vendo esse filme, onde uma mulher consegue ver toda sua vida (passado, presente, futuro) de forma não linear após alguns acontecido, com isso, ela viu onde sua vida vai levar ela, tudo de ruim e bom que vai acontecer e mesmo assim abraçou aquilo com tudo. inclusive a morte da sua filha que ainda nem nasceu. foi aí que isso me fez adentrar nessa onda de pensamentos em excesso, pensamentos que te sabotam... quem sabe nem sabotam, mas te fazer refletir daquilo que o tempo e a rotina nunca permitiram.
a vida é linear pra nós, cíclica pro universo e singular pra ambos.
eu quis só me expressar por aqui pra falar com cada um que ler que cê não tá sozinho nisso, a gente tá aqui, todo mundo fodido da cabeça, mas vamo sair disso ninguém precisa aguentar tudo isso sozinho
se cê leu até aqui,brigado
submitted by BiAang to desabafos [link] [comments]


2020.05.11 10:58 exdomal Meu ex-namorado

A gente namorou por menos de um ano em 2016. Foi um namoro muito conturbado, ele tinha dúvidas do sentimento que ele tinha por mim e em geral ele tem problemas de comprometimento muito sério. Terminamos porque os nossos encontros ficaram menos convenientes porque eu acabei me mudando e daí ficou muito óbvio que não tinha interesse suficiente para manter um relacionamento à distância.
Eu fiquei muito mal porque realmente amava muito ele, foi meu primeiro amor e eu vivi um período muito importante da minha vida com ele. Ele também era uma pessoa muito boa, extremamente inteligente e super bonito. Ele insistiu que a gente ficasse amigos, e eu aceitei porque não queria perder ele da minha vida. Foi horrível por um tempo porque eu continuava agindo como se ele fosse meu namorado – ele me dava atenção o dia inteiro, não dava para superar, sabe? Porque parecia a mesma coisa que antes, foi muito confuso.
Um dia ele arranjou uma namorada, o que era algo bem normal afinal de contas ele não tinha nada comigo e isso era claro mas mudou de conversar comigo todo dia, o dia inteiro, para me responder de maneira muito errática uma vez por semana. Do nada, ele sequer tinha me dito que tava saindo com alguém nem nada, ele me contou isso só depois. Eu fiquei mal com isso, porque a gente conversava todo dia e sentia que ele omitiu isso, eu sinto que de alguma forma ele queria continuar me deixando em stand-by. Ele encarou isso puramente como ciúmes, mas eu sinceramente acredito que era além disso... eu me senti traída não como namorada (que eu não era), mas como amiga também, como você conversa todo dia com alguém e não conta uma coisa tão importante?
Eu lembro nessa época aconteceram duas coisas bem ruins comigo, que foi quando eu mais senti o baque dele ter parado de me responder e foi o que desencadeou a treta que ele me contou da namorada, eu reclamei dele não ter me contado antes etc.
O que rolou foi que eu fui assaltada pela primeira vez, e o cara me ameaçou com uma arma e tal. Eu contei isso para ele, e ele nem me respondeu. Uns dois dias depois, sem resposta dele ainda, eu tava indo para faculdade – que fica numa rodovia – e eu tava na calçada, e um caminhão atropelou um cara de moto. Eu vi a cabeça dele estourada, o cérebro saindo... foi horrível e chocante demais. Eu queria muito ter tido apoio da pessoa que conversava comigo todo dia há alguns anos e era meu amigo mais próximo. Isso é um choque que eu carrego até hoje e realmente me chateou como na época ele cagou pro quão traumatizada eu estava, e depois transformou todo o meu descontentamento com isso em puramente ciúmes.
Vida que segue, ele acabou terminando com essa namorada em menos de 3 meses e voltou a conversar comigo. Na época, ele tinha ficado bem excluído dos amigos e tava com problemas no trabalho e super sobrecarregado e conversava muito comigo porque basicamente eu era a única pessoa que sobrou. Eu dei muito apoio para ele, e ele reconhecia isso e ficava feliz, dizendo que apreciava muito a minha amizade etc.
Isso só durou até ele fazer novos amigos, mas tudo bem porque eu não quero que ele fique em crise a vida inteira, mas me chateia que parece que assim que ele tem pessoas mais interessantes para conviver, ele me escanteia.
Depois, foi a vez de eu começar a sair com um cara, e eu comentei com ele porque a gente ainda se fala com frequência. E ele chorou as pitangas sobre não sentir o mesmo tipo de excitação que eu tinha sobre sair com esse cara novo, porque na época eu tava super ansiosa e apaixonadinha. Eu fiquei com dó dele real, porque ele soava muito sozinho e triste... e eu meio que previa que isso ia acontecer pela dificuldade de compromisso que ele tinha e tudo, e daí um dia ele me comenta que esta mandando CV para empresas de um outro país, daí contando sobre os motivos dele querer mudar, ele me cita que tá saindo com uma menina de lá e que tão pensando em ir morar junto. Nos últimos meses, ele tinha viajado algumas vezes para esse país e nunca mencionou ninguém, mas aparentemente ele estava junto com essa menina por quase 6 meses e nunca mencionou nada e choramingou por falta de namorada para mim quando eu tava saindo com alguém.
Ele acabou não se mudando e terminaram, ou pelo menos ele me contou do término umas 5 ocasiões diferentes e toda vez que eu pontuei "ué, mas vocês não terminaram há um mês atrás?" ele me acusava de ter ciúmes e que por isso ele não me contava sobre relacionamentos dele. Nesse ponto, eu sinceramente nem sei mais porque eu mantenho essa amizade. Eu sou uma pessoa sozinha e acho muito difícil gostar de alguém, e eu realmente me dou bem com ele, e fico apegada a isso.
Recentemente, ele parou de novo de me responder, ele tipo pergunta coisas, e eu me empolgo conversando e fico uma semana sem ouvir resposta. Eu não gosto de conversar desse jeito, me deixa ansiosa, ele sabe disso. Aí eu falei para ele que não dava certo, que eu precisava cortar esse ciclo porque me fazia mal esse comportamento errático dele. Bloqueei ele no FB e WPP, e depois de uns dois dias ele me mandou mensagem no instagram dizendo que tava muito mal, que não queria que eu tivesse raiva dele, etc. Acabamos conversando por telefone, e decidimos ficar de boa, mas que eu queria me afastar um pouco. Ele falou OK, daí eu desbloqueei ele, mas ele continua TODO DIA me mandando mensagem, puxando assunto e depois não respondendo e isso me deixa muito, muito mal, e eu não aguento mais mas me sinto mal de bloquear ele porque ele é realmente uma pessoa que eu gosto e foi importante na minha vida, mas sinto que perdi anos nessa relação bizarra porque nós dois somos fodidos demais para impor limites na nossa relação.
submitted by exdomal to desabafos [link] [comments]


2020.05.05 05:40 R0MA_319 EU SINCERAMENTE NÃO SEI OQUE FAZER

Tem dois meses que a minha namorada voltou do retiro de igreja e voltou terminando logo q chegou. Disse que Deus tem um propósito pra ela e que tínhamos que terminar.ok. mas dois meses se passaram e ela faz algo estranho como se ela estivesse confusa. Foi um ano e três meses de namoro e num fds sem ter contato tudo acabou. Eu continuo me declarando pra ela pq não dá eu realmente a amo mas ela acaba me ignorando quando falo com ela e tudo mais. Mas ontem percebi algo e é oq me deixa mais confuso ainda: Ela me mandou msg dizendo que estava com sdds e que eu era importante pra ela. Não tava esperando esse tipo de msg dela pq eu decidi fazer oq ela faz comigo (ignorar) e ela veio Fiquei mto feliz pela msg dela realmente salvou meu dia por conta de outras coisas externas e pessoais. Mas aí tudo entra em decadência depois disso pq ela sabe que me faz bem , sabe que eu a faço bem ,mas ela sla não sabe oq fazer. Se eu sumo um tempo ela vem e a gente mantém uma amizade foda mas aí ela fala que tem que haver "limites" MAS PORRA!? tá com saudade guarda pra vc Eu tava disposto a me casar e crescer com ela e tudo se foi mas agora diz q tem sdds? Quando eu digo que tenho eu tô errado ainda? Como assim? Vai dar 3 meses hj e eu não durmo direito a 3 meses
submitted by R0MA_319 to desabafos [link] [comments]


2020.05.02 10:33 Ventoprata O mundo se abre de dentro de mim

Sou uma pessoa de poucos amigos. Quando preciso desabafar, dois deles me vem a mente, mas acredito que eu nunca tenha conversado sobre meus assuntos românticos com um deles, e a outra é muito passional e iria responder o que eu quero ouvir.
Bom, eu sou o Prata, tenho vinte e quatro anos, estou sofrendo por amor e ninguém melhor do que anônimos para ler minha história.
Meu grupo de amigos, que costumo sair frequentemente, é formado por mim, meu melhor amigo de infância (Pontas, a partir de agora), a namorada dele, e mais duas amigas que estudam junto com Pontas.
Uma dessas meninas (Girassol, porque eu gosto de codinomes) foi meu interesse romântico há um tempo. Eu me identifico muito com ela: mesmos filmes, livros, séries, opiniões sobre diversos assuntos e senso de humor questionável. Eu nunca cheguei a comentar sobre isso com ninguém, porque tomei alguns baldes de água fria um pouco depois de conhecê-la melhor.
Em um momento a sós, Pontas e sua namorada me disseram que quando conheceram a Girassol (alguns meses antes de mim), eles acharam que ela seria um par ideal para mim, mas que depois de sair algumas vezes com ela, desistiram de me apresentar. Minha irmã, que conhece a Girassol da época da escola, uma vez fez um comentário em tom de comédia do gênero "Se for pra você sair com alguém, pelo amor de Deus que não seja com ela". Sabemos que em toda brincadeira, há um fundo de verdade.
Pessoas próximas a mim dizendo que não seria uma boa ideia, mais a impressão de que ela não dá a mínima bola para mim, e mais um pouco de insegurança sobre relacionamentos me fizeram ser passivo em relação aos meus sentimentos pela Girassol.
Alguns meses depois, a Girassol apresenta pra nós dois amigos da faculdade. Entre eles, uma menina que vou chamar de Palmas (codinomes, vocês já sabem que eu gosto). O outro menino não entrosou muito, mas a Palmas passou a sair conosco todo final de semana. Ela é uma das melhores amigas da Girassol (ênfase em negrito).
Em um rolê aleatório, a Palmas contou uma história e começamos a tirar sarro da situação, e isso passou um pouco dos limites. Eu me senti mal por isso, e ao ir embora mandei um áudio para ela me desculpando. A partir desse momento, de uma maneira que eu não consigo entender até agora, começamos a flertar. Um flerte inocente, até mesmo infantil, que começou com um "não acredito que ela está fazendo isso" e terminou em um namoro de oito meses.
É claro que eu gostava da Palmas, não sou cretino ao ponto de me relacionar com alguém não tendo sérias intenções, mas aconteceu tudo muito rápido, e talvez se tivesse sido um pouco mais devagar, não teria acontecido. O namoro mostrou que nós dois tínhamos demandas diferentes, que o outro não podia atender, e eu me sentia muito mal por ter sentimentos por outra pessoa.
Decidi terminar. Faz cerca de dois meses, um pouco antes desse isolamento estourar. Eu acredito que tenha sido melhor para os dois assim. Mas a Palmas não aceitou muito bem. Mesmo colocando meus sentimentos em panos limpos (exceto sobre a Girassol), pelo conteúdo das redes sociais dela, é perceptível que ela ainda sente algo e está magoada.
Durante minha relação com ela, eu fiquei mais próximo da Girassol, porque antes eu saia na maior parte do tempo com o Pontas e a namorada dele. E essa proximidade fez eu perceber que eu realmente gosto da Girassol.
O problema é que eu não sei se devo contar isso à ela. Eu acredito que talvez eu deva correr atrás da minha felicidade, mas o custo disso é alto. Independente dos sentimentos da Girassol serem recíprocos aos meus, eu não gostaria que a amizade dela com a Palmas mudasse. Ainda mais sendo esse preço algo que não sou eu quem paga, mas sim ela.
E essa, meus caros redditores, é a angústia que me tira o sono faz semanas. Texto longo, eu sei, mas meus sinceros "obrigado" à quem leu até o final.
Sintam-se abraçados e fiquem bem (em casa).
submitted by Ventoprata to desabafos [link] [comments]


2019.04.18 03:51 LucasKure Cansado e Indiferente (Amor)

Resumindo, desde o início do meu namoro eu e minha namorada meio que brigamos por motivos idiotas e banais e conversei algumas vezes sobre isso com ela e que nós não podemos agir como crianças e fazer dramas assim. E bom até que resolvemos o problema, porém ela (sendo uma garota extremamente estudiosa) começou a tirar algumas notas mais baixas, isso fez com que ela ficasse estressada e eu acabo sendo afetado por isso. Eu entendo ela completamente, é seu primeiro namoro, ela nunca foi muito aberta e não sabe lidar tão bem ainda com os sentimentos. Sou paciente e realmente amo muito ela, mas também não sou um saco de pancadas e conheço limites. Eu sinto que é uma questão de tempo e possíveis conversar maduras que eu e ela podemos ter. As vezes não posso chegar perto que ela já fica estressada e se eu tiver longe ela pede pra eu ficar perto (acho que todos nós conhecemos pessoas assim). Eu só queria desabafar mesmo e obrigado se eu até aqui. Eu espero que eu esteja indo pro caminho certo
submitted by LucasKure to desabafos [link] [comments]


2018.10.26 02:24 notVinDieselfan Como eu posso mudar?

Eu to meio na merda esses dias, oficialmente desisti da minha faculdade, no começo eu estava gostando muito mas depois de um período as coisas mudaram, não sei bem dizer se fui eu ou se foi o curso que mudou, que não atingiu minhas expectativas. Talvez tenha sido minha culpa, eu vivo fazendo as coisas e me arrependendo depois, sou muito ansioso e não sei bem lidar com isso. Eu somente fico chateado pois mais uma vez eu desperdicei dinheiro, energias, tempo, poderia ter focado em outras coisas, poderia ter pensado em novos projetos, mas falhei não apenas comigo mesmo mas também com a minha família.
Além disso me sinto sozinho, no limite do quão sozinho um ser humano pode estar. Quase sem amigos, não namoro ninguém, não possuo nem amigos na internet. Não trabalho e não contribuo em nada para a minha família ou para mim mesmo, me sinto um inútil graças a isso pois nem quando minha família necessitou da minha ajuda, eu não fui capaz de ajudá-los, acho que sou mais um fardo para eles. No ano passado fiz promessas de que mudaria, e no ano retrasado, e no outro ano, e no outro e por ai vai. Já me disseram para procurar um psicólogo mas eu não preciso que alguém me ouça para me sentir melhor ou para entender como me sinto, eu preciso me ouvir, eu preciso entender do que eu preciso, como eu posso parar de fazer novas promessas.
submitted by notVinDieselfan to desabafos [link] [comments]


2018.04.20 20:34 CarroR24311 Como eu uso o Tinder pra despertar a “GP” interior em algumas mulheres

PRIMEIRO PASSO - O PERFIL
Bem, meu objetivo no Tinder sempre foi obter encontros com finalidade estritamente sexual, mas ao mesmo tempo precisava manter minha identidade preservada. Não estava buscando uma namorada, amante, crush, ou nada do tipo. "Ah, CarroR24311, mas não seria mais fácil então sair com uma GP?" Sim, seria...mas minhas motivações nem sempre são muito simples de serem definidas ou explicadas; encontro prazer no inusitado, no inesperado, na surpresa. Gosto de jogos, e me pareceu um jogo interessante essa "pescaria"...jogar a isca e ver quem nesse universo tão variado de meninas que aparecem todos os dias na descoberta do Tinder cairia na minha rede. Sabia desde o primeiro momento que seria uma loteria...sair com meninas das quais eu não sabia nada, das quais não tinha nenhuma informação senão meia dúzia de fotos e uma descrição que geralmente se resumia a signo, altura, gosta da série tal, dispensa quem quer apenas sexo (essa parte geralmente era a mais engraçada, por motivos óbvios).
Assim, o primeiro passo foi criar um facebook apenas com a finalidade de usar o Tinder, já que é obrigatório vincular uma conta do face ao Tinder. Feito isso, é hora de criar o perfil...por via de regras, no Tinder as pessoas avaliam as outras com base nas fotos e uma breve descrição. No meu caso a minha foto não mostrava a minha pessoa, mas sim uma sugestão sobre o meu objetivo ali. E minha descrição era bem objetiva, do tipo "Sou casado, busco relacionamento sexual e como retribuição ofereço um valor de até $$$ por cada encontro. Não busco romance ou namoro, ofereço e exijo o máximo de discrição".
SEGUNDO PASSO - A PESCARIA
Nesse momento se define o que se deseja, podendo limitar sua escolha por localização e faixa etária. No meu caso, no começo eu defini que gostaria de visualizar apenas meninas de 18-22 anos e localização de até 160 km do meu local. Nesse primeiro momento eu geralmente dava likes indiscriminadamente, queria mais ter um feeling se meu perfil iria fisgar a atenção de alguém. Logo no primeiro dia consegui 8 matchs, e então passei a ser mais seletivo, reduzindo o "range" de distância e concentrando meus likes apenas nas meninas que de fato me chamavam a atenção.
TERCEIRO PASSO - DEI MATCH, O QUE FAÇO AGORA
Bem, eu uso a seguinte regra: se dei like por último, eu começo a conversa, se a menina deu like por último, espero ela começar. No meu caso, tudo sempre começa com o famoso "Bom dia, tudo bem com você?", e em seguida eu pergunto se ela leu meu perfil por completo, se existe alguma dúvida com relação à minha proposta. Acho isso importante pois reforça a objetividade da oferta e não dá muita margem para a menina ficar de papo furado depois. Na maioria dos casos as meninas afirmam terem lido e estarem de acordo. Mas também na maioria dos casos elas vão querer saber um pouco sobre você, sua motivação, e principalmente, vão querer uma foto sua. Posso afirmar que 99% vão pedir para ver uma foto antes de seguir em frente, e existem mil maneiras que você pode enviar uma foto: colocando no próprio perfil do Tinder e depois tirando (não gosto de fazer isso, pois alguém conhecido pode justamente estar olhando seu perfil naquele exato momento), upando em um tumblr da vida e passando o link, ou então passando a conversa do Tinder para o popular WhatsApp. Eu geralmente uso essa última.
Bem, daí pra frente vai de cada um. Você vai ter que conversar com a menina e combinar o seu encontro. Eu geralmente pergunto à menina se ela prefere encontrar antes para tomar um café, conversar um pouco, quebrar o gelo, afinal de contas são garotas que na maioria das vezes nunca fizeram sexo em troca de dinheiro e ficam preocupadas de você ser um maníaco ao algo do tipo. Para uns 20% isso foi muito importante, e eu não teria sucesso com elas se não tivesse colocado essa possibilidade. As demais foram de boa para abate sem floreios. Também é bom salientar que na maioria dos casos de encontros pelo Tinder não é a menina que vem ao seu encontro. Você vai ter que ir atrás...e isso pode ser um empecilho para alguns.
Outra coisa, eu não pedi nudes para nenhuma menina. Como já disse lá no início, encarei essa experiência como uma loteria, e solicitar fotos sem roupas poderia colocar em risco meu objetivo. Tem muita gente no Tinder que fica só pedindo foto, e as meninas por razões óbvias vão ter muito receio de encaminha-las para um estranho. Em razão disso, tive alguns desapontamentos, mas no fim, como Edith Piaf posso afirmar que "Je ne regrette rien"
Com relação à duração dos encontros, isso também era algo totalmente em aberto. Eu particularmente preferia não definir nada, deixar rolar...assim, para algumas meninas eu paguei para ficar uma noite inteira o mesmo que valor que gastei para passar 20 minutos com outras.
Enfim, o resultado dessa experiência foram encontros com 19 meninas, das mais diversas origens e classes sociais. Vou descrever um resumo de cada um, para que tenham uma ideia do que poderão encontrar...
Menina 1 - Mesquita - 20 anos - Funcionária Pública
Bem, essa foi fisgada ainda na primeira leva de likes. Mulata, não muito bonita de rosto, mas tinha um corpão de passista de escola de samba. Combinamos na praça, e na hora marcada ela estava lá. Eu estava nervoso por ser meu primeiro encontro, e ela nitidamente também estava. Quando ela entra no carro bateu uma bad, pois as fotos haviam pegado apenas seus melhores ângulos, que eu pessoalmente não conseguia enxergar. Enfim, mas eu já estava ali, então ia tentar fazer daquele limão uma limonada. Já no carro ela começa a me elogiar, dizendo que me achou bonito e que não entendia o porque de eu estar pagando para sair com garotas, e no caso, estar saindo com ela. Eu pensei a mesma coisa, mas não disse. Como eu havia combinado antes com ela de sairmos para comer algumas coisa, fomos para o shopping almoçar e conversar um pouco, antes de ir para o hotel. Bem, pelo menos sem roupa ela compensava a cara. Menina bem gostosa, seios médios, bundão. pedia para chamar ela de puta e por fim, me ofereceu atrás que eu claro, não recusei. mas logo em seguida bateu a bad de novo, e disse a ela que tinha um compromisso e ia precisar ir embora. Devemos ter ficado em torno de 1 hora no hotel...na hora de pagar ela ficou muito constrangida, a princípio não quis receber. Mas depois de minha insistência, ela acabou aceitando.
No caminho para deixá-la de volta em casa ela contou que imaginava que iríamos ficar mais tempo, mas que como saiu cedo iria conseguir ir à reunião do grupo de jovens na igreja 54** . Achei essa parte engraçada, mas segurei para não rir. Dois minutos depois de deixá-la no local onde a peguei, descombinei no Tinder e fui seguindo meu caminho pra casa, quando ela me manda uma mensagem pelo WhatsApp perguntando o porque de eu ter descombinado. Enfim, como justamente estava nessa para não ter que dar satisfação a ninguém, não respondi e tratei de bloqueá-la no WhatsApp também. Ela foi a primeira de 36 contatos que estão bloquedos hoje no meu telefone, que vão de garotas que eu já saí e não quis repetir até meninas com quem eu comecei a conversar mas decidi por não encontrar.
Menina 2 - Volta Redonda - 21 anos - Estagiária em Escritório de Advocacia
Sim senhores, nesse afã por ppk eu fui parar em Volta Redonda. Como no começo meu "range" estava de até 160 km, acabei dando match com essa menina de lá, e ela me chamou tanta atenção que decidi que valeria a viagem. Pelas fotos do tinder e instagram ela parecia com a Mulan, personagem de um desenho da Disney. Na conversa pelo WhatsApp se mostrou instruída, tranquila, o que me animou ainda mais em encontra-la. Com ela não teve papo antes...nos encontramos e fomos direto para o hotel. Era a segunda vez que encontrava alguém em troca de grana e estava juntando para por silicone. Dei duas com ela, e poderia ter dado mais se quisesse, mas eu tinha que voltar ao Rio para trabalhar. Enfim, apesar de ter sido legal, não tinha intenção de repetir, então foi para o saco dos blocks também.
Menina 3 - Santa Cruz - 18 anos - Blogueira e Hostess
Fiquei impressionado com as fotos dela. Pelo WhatsApp a menina me pediu um monte de fotos, perguntou um monte de coisas, já estava ficando puto, mas como queria muito conhecê-la fui relevando. Até que ela passou um pouco dos limites, perguntando coisas da minha vida pessoal, daí eu dei-lhe um fora, e já imaginava que ela ia me xingar e cair fora, mas o oposto aconteceu. Ela pediu desculpas e ficou mansinha, me mandou até nudes sem eu pedir. hahahaha
Enfim, fui encontrá-la em Santa Cruz, e a menina queria manter as luzes apagadas no quarto. Muito gostosa, mas tinha um comportamento meio estranho. Parecia sofrer de distúrbio de dupla personalidade. Enfim, essa eu não bloqueei, pois achei que valeria a pena encontra-la novamente, mas três dias depois ela vem com uma história que estava precisando de grana para por implante no cabelo, se eu não podia adiantar, e tal...bem, percebi que essa mulher ia ficar no meu pé, então mais uma foi morar no saco dos blocks.
Menina 4 - Tijuca - 18 anos - Universitária
Quando dei match com ela eu nem acreditei. A menina era muito gata, mas muito mesmo...um corpo perfeito, conforme pude ver pelas suas fotos de biquíni. O relacionamento com ela extrapolou um pouco os limites que eu havia determinado para mim mesmo. Fui dormir na república onde ela morava, falava com ela todos os dias, já não pagava mais, mas a coisa já estava saindo do controle, então preferi me afastar. Dessa eu tenho saudades..
Menina 5 e 6 - Tijuca - 18 e 21 anos - Universitárias
Dei match com a de 21 anos, que durante as conversar informou que uma amiga também estava interessada. Me mandou fotos da amiga, que de fato parecia ser muito gata. Perguntei se ela e a amiga se pegavam, ela disse que não. Eu então questionei o sentido de eu sair com as duas. Elas disse que estava precisando muito de dinheiro, e que poderia fazer "2 pelo preço de 1,5". Bem, como eu estava muito afim de comer a amiga dela, topei. Nesse eu me dei mal...a amiga de fato era gata, mineira, 18 aninhos, branquinha, peitões. Uma delícia. Agora a menina que eu dei match era simplesmente diferente das fotos!!! Uma gordinha baixinha que eu não pegava nem de graça...mas é aquilo, "tá no inferno, abraça o capeta".
No hotel, as duas não podiam ficar no mesmo ambiente pois a mineira (que apesar de linda parecia um bicho do mato), tinha vergonha de dar na frente da amiga. Assim, a comi no banheiro enquanto a gordinha ficava no quarto olhando o que tinha na geladeira. Estava bom com a mineira, até que ela dá um troço e fala "agora vai com ela"...hahaha. Quase me desesperei, argumentei que estava bom ali, que não queria parar naquele momento, mas ela disse que estava ficando com a buceta ardendo por causa da camisinha. Enfim, muito puto fui comer a gordinha, que pelo menos tinha uma buceta quentinha e apertada...botei o travesseiro na cabeça dela e percebi que daquela forma, com ela de 4, até que não estava de todo ruim. Enfim, gozei e quando eu viro por lado a mineira já estava vindo arrumada do banheiro. isso não tinha passado nem 40 minutos de quando havíamos chegado. Pra não me estressar, levei as duas embora com a intenção de nunca mais ver a cara das delas. Até que um dia recebo uma mensagem no whatsapp de um número desconhecido, e para a minha surpresa era a mineira, que estava querendo sair de novo comigo (ou seja, estava precisando de grana). Falei que ela estava doida, que tinha me decepcionado da última vez e não estava afim de me aborrecer novamente. Daí ela falou que ia se esforçar para me agradar desta vez, pediu desculpas, quase implorou. Como ela era gostosa, e estava aparentemente arrependida, lá fui eu encontrá-la. Até que de fato foi melhor, mas ela estava afim de um patrono, e eu não queria ter compromisso de ter de ficar saindo sempre que ela precisasse de grana, então botei ela no saco junto com as outras.
Menina 7 - Baixada - 20 anos
Essa prefiro não relatar, sorry.
Menina 8 - Nova Iguaçu - 18 anos
Essa eu conheci por intermédio da menina 8, então boto na conta do tinder também. Branquinha, linda, uma princesa...essa eu faço questão de encontrar até hoje.
Menina 9 - Duque de Caxias - 18 anos - Lojista
As fotos dela eram sensacionais. Os seios foram os que mais me chamaram a atenção, mas o rosto era lindíssimo. Por isso até fiquei meio cabreiro. Mas ao vê-la pessoalmente fiquei impressionado em como ela era ainda mais bonita. Segundo ela, eu era apenas o segundo cara com quem ela fazia sexo na vida. O primeiro havia sido um namorado com quem ela havia terminado apenas dois meses antes. A menina era muito, mas muito gostosa, e além de tudo ainda deixou eu fazer várias coisas loucas. Detalhe, ela disse ter uma irmã gêmea, o que foi suficiente para aflorar em minha mente os mais perversos pensamentos. Infelizmente não encontrei mais com ela, embora tenhamos nos falado algumas vezes depois. Fico na esperança, pois dessa também tenho muitas saudades
Menina 10 - Magé - 20 anos - Universitária
Loira, 1,75 m de altura, mulherão. Mas com carinha de menina...essa foi engraçada, pois demoramos a nos encontrar. Ela só podia em um dia específico da semana, num espaço de duas horas. Como fui descobrir depois, ela estudava com o namorado, e a única matéria que eles não faziam juntos caia nesse horário. Então eu a pegava na porta da faculdade, saía correndo pro hotel, e antes da aula terminar eu tinha que deixá-la de volta, pois ela ia para casa com o corno. Nos encontramos 3 vezes, e só paguei a primeira...nas outras ela me chamou, pois como o namorado dela não comparecia (eram crentes), ela sentia falta de sexo e acabava pedindo minha "ajuda". Saí fora pois fiquei com receio de dar merda, mas valeu a pena a aventura.
Menina 11 - Duque de Caxias - 22 anos - Comerciante
Me chamou atenção pois parecia ser linda de rosto pelas fotos. E de fato era muito mas muito bonita. Mas tinha um corpo meio estranho. Já era mãe, e a gravidez acabou judiando da menina. Mas tinha os maiores seios que já vi na vida, ainda que um tanto que moles. Gente boa, não tive coragem de dar block de primeira, mas também não queria mais sair com ela. Só que ela ficava me mandando mensagem direto, daí não teve jeito e mandei pro saco também.
Menina 12 - Duque de Caxias - 21 anos - Universitária
Essa foi engraçado. Menina de Goiânia, nos falávamos pelo WhatsApp e seu sotaque dava o maior tesão, aquele "amorrr" fazia o pau subir na hora. Mas a menina era muito carente, e já no chat ficava falando que não ia querer receber pois tinha medo de isso afetar nosso futuro 08** 08** 08** . Bem, no dia do encontro saímos antes para tomar conversar, tomamos um chá, e a menina estava cheia de amor. Já no hotel se mostrou uma devassa na cama, muito gostosa, mas ela estava afim de romance, então tive de sair fora.
Menina 13 - Barra da Tijuca - 18 anos - Só fuma maconha 70**
Essa menina eu já encontrei algumas vezes. Tem um perfil social que difere da maioria das outras pois é de família abastada. Mora em uma mansão em condomínio fechado da Barra, tem tudo o que quer, e sinceramente eu não sei por que está nessa. Acho que ela curte o lance da aventura, sei lá...nunca entendi. Mas enfim, é gostosa demais, muito safada, então eu vou aproveitando.
Menina 14 - Campo Grande - 18 anos - Trabalha mas não sei aonde
Essa menina foi meio estranha, bonita, vivia me mandando nudes perguntando quando eu iria encontrá-la, até que um dia resolvi ir na longínqua Big Field. De fato muito gostosa, mas muito estranha também. Eu a elogiei assim que nos encontramos, tipo "você é muito bonita", e ela "eu sei!" 17** . Já fiquei meio bolado...calada, não falava absolutamente nada até chegarmos ao hotel. Bem gostosa, mas não me senti a vontade em nenhum momento com ela. Até que uma hora ela começa a ter dificuldades para respirar, e eu fiquei super bolado pensando que a menina ia morrer...ela disse que isso era normal, que ela precisava tomar um remédio para melhorar. Daí falei para irmos embora, mas ela não queria ir. Eu ficando desesperado, mas ela aparentou melhorar. Fumava igual um saci....fui puxar assunto, comentando que ela era muito quieta, até estranha. Que eu estava com medo dela...hahaha. Ela começou então a contar a história dela, que tinha vivido em orfanato até os 13 anos, um monte de história triste, daí fiquei na bad e insisti que tinha que ir embora. Finalmente ela aceitou. Nesse dia tive duas alegrias, uma quando a encontrei, e vi que era bonita, e outra quando consegui me ver livre dessa doida. Óbvio que foi para o saco.
Menina 15 - Jacaré - 18 anos - Terminando 2º grau
Menina bonita, mas meio feminista. Não depilava a perna nem as axilas. Estava menstruada quando nos encontramos (só descobri na hora), não chupava (nas palavras dela "não faço aquele job"), enfim, desastre total. E o pior é que ela ficou me ligando depois querendo me encontrar de novo...
Tiveram mais 4, inclusive uma que mora no Leblon, que eu até agora não acreditei que deu match. Conheci-a dois dias atrás e estou praticamente apaixonado. A mulher é tão linda, mas tão linda que só o fato de eu ter saído com ela valeu por todos os infortúnios que passei. Mas agora estou com preguiça de descrever, e esse texto está ficando muito longo. hahahaha
Enfim, fora essas, ainda tem 19 matchs para desenrolar, e isso tudo em pouco mais de 1 mês. As experiências foram das mais diversas, e dá para comer uma menina por dia nesse tinder se você tiver disposição, grana e tempo.
Espero que tenha sido útil para quem ainda tem dúvidas sobre a utilização desse app. Eu já estou perdendo o fôlego, tem umas meninas que ainda quero conhecer pois me chamaram muito a atenção, mas depois disso vou dar uma parada. Administrar a logística para todos esses encontros não foi fácil. Mas valeu a pena!
TL;DR: ofereço grana pra mulheres “normais” no Tinder em troca de sexo e elas aceitam. Seguem também relatos de alguns encontros.
submitted by CarroR24311 to brasil [link] [comments]


2017.09.25 21:45 botafora01 Sinto que a minha vida já está traçada

Desde já peço desculpas pela muralha e pelo throw away
OK, desde o Ensino Médio eu sofria com algo que eu imagino 90% do Reddit sofreu: não conseguia pegar sequer resfriado. Era extremamente zoado pela sala toda por isso (meus amigos até hoje dizem que eu sou o único da turma que nenhuma mulher chegou), cheguei até a apanhar por isso. Só fui perder meu BV no meu ano de calouro na faculdade e a minha virgindade quando fui num bordel. Eu ficava triste com isso, mas também estava esperançoso: afinal, era um adolescente, estava entrando na faculdade, e todos sempre me louvavam por, segundo eles, eu ser muito inteligente. A menina que eu gostava na época, e que até hoje é uma amiga (e que eu passei a maior vergonha da minha vida, ao me declarar pelo fucking MSN), vivia brincando dizendo "O nerd de hoje é o cara rico de amanhã". Boas memórias.
Chegou 2013, e eu entrei na faculdade. Não fui maravilhosamente bem no ENEM, mas consegui uma bolsa integral em Administração em uma bela universidade. Escolhi Adm por pensar que o mercado estava bom e por ser noturna, o que me permitiria trabalhar. Nesse período, perdi meu BV e fiquei com outra menina uma vez, num espaço de 9 meses. Pra mim, isso era o ápice, eu era o deus da conquista, mesmo que meus novos amigos me zoassem de "pega ninguém" do mesmo jeito. Nessa época, eu baixei o Tinder e conheci o meu primeiro namorico, vamos chamar de Ana. Ana morava a 3h30 de viagem, então era praticamente um namoro à distância. Ficamos algumas vezes, 3 meses depois começamos a namorar e, depois disso, ela passou o mês seguinte dando desculpas para eu não ir lá. Chegou fevereiro, veio o carnaval, e ela disse que estava passando mal. Foi para o hospital e detectaram leucemia. Óbvio que eu pirei, queria ir pro hospital dela de todo jeito, mas ela nunca deixava, dizia que os pais me viriam, iria arrumar encrenca, ela iria ver um momento que estivesse sozinha. Se passaram 5 meses nesse tormento, hora ela dizia que estava boa, hora dizia que estava mal, quimio e afins, até que meus amigos de sala fizeram uma intervenção comigo, mostrando que não havia nada em rede social nenhuma dela a respeito de câncer, mostrando que ela estava postando normalmente sobre coisas cotidianas e que era a maior retardadice do mundo eu não ter ido nenhuma vez ver ela. Eu fiquei meio balançado, até porque meus pais concordavam com este ponto de vista, mas fiquei meio irregular com ela. Pouco mais de um mês depois disso, ela disse que tinha tido alta, tinha encontrado um ex, tinha ficado com ele e queria terminar. Não lamentei muito, até porque isso ocorreu em um espaço de uma semana, no máximo. Terminei e, desde então, ouvi dela duas vezes na vida. Passou.
Vale mencionar que, nesse meio tempo, a minha vida em casa havia melhorado demais: durante meu período de Ensino Médio, minha adolescência se resumia a passar finais de semana com minha mãe em bares, vendo ela entrar quase em coma alcoolico com as amigas e outros finais de semana na casa do meu pai, vendo ele ficar bêbado e chorar no meu ombro sobre ele ser um fracassado que não conseguiu sequer manter um casamento. Quando eu terminei, minha mãe já estava mais centrada (como está agora), saindo ocasionalmente e socialmente, e meu pai parou de beber após enfartar e voltou a ser o cara extremamente trabalhador que eu sempre admirei. No fim do meu primeiro ano de faculdade, eu passei a estagiar em um instituto federal. Ao mesmo tempo do término que eu disse acima, eu fui chamado para um concurso temporário, em outro órgão público, bem mais perto de casa.
Poucos meses após eu terminar com a Ana, entrou em cena a pessoa que eu, de fato, considero como a única que eu namorei. Vamos chamar ela aqui de Beatriz. Beatriz me chamou no Facebook, para brincar sobre uma postagem que eu havia feito (já havíamos tido pequeno contato ainda no colégio), e daí começamos a conversar. Dois meses depois, ficamos e, 5 meses depois, começamos a namorar. Ela perdeu a virgindade comigo e, na prática, eu também perdi com ela (transei com prostitutas umas 4 vezes antes. Fiz exames, por precaução, e não deram nenhum reagente). Eu aprendi demais a me aceitar com ela, nós tínhamos a mesma personalidade, ela era a primeira pessoa que não só não me julgava por meus interesses, como me incentivava a seguir eles. Não me cobrava nada, eu não cobrava nada dela, mas conversávamos de forma quase ininterrupta das 7 até meia noite. Com ela, no entanto, eu descobri algo que já havia visto antes nos bordeis: não sei o que me causa, mas com certeza eu tenho ejaculação precoce. Fui em um urologista, que me disse que era algo psicológico, que eu só precisava "me desligar". Tentei os exercícios que o próprio Reddit indica, mas nunca funcionava. Usei camisinha anestésica 2 vezes: uma vez foi uma maravilha, na outra estourou e eu traumatizei. Sempre me sentia extremamente culpado e furioso comigo mesmo após cada fim de penetração, mas o que atenuava era a presença dela, que sempre me dizia que não ligava, que eu conseguia deixar ela no céu somente com as preliminares, que não ligaria de passar por isso por não sei quanto tempo. Tudo que eu me julgava errado, ela me mostrava que não ligava. Eu me sentia num porto seguro com ela, e isso me impulsionava na faculdade: eu imaginava que iria me formar em um emprego na iniciativa privada, sem "data de validade" como meu emprego temporário, e que, 1 ou 2 anos após isso, estaria casado com ela. O único motivo de discussão que tínhamos era que ela tinha total ojeriza de tornar público: não podia postar nada com ela no Facebook, não podia atualizar status de relacionamento, não podia ir conhecer os pais dela, que "iriam proibir completamente". Mesmo os amigos eu só vi 2 vezes (uma outra vez eu não pude ir por motivos profissionais). Eu sempre entendi que isso era um receio dela, então, mesmo um pouco frustrado, eu aceitava. No que eu terminei minha monografia, estava preocupado com a questão do mercado, mas nada demais. Até que veio o dezembro, 1 ano e 4 meses após começarmos a ficar.
Eu estava na faculdade, pegando os convites de formatura, quando ela mandou o tradicional "precisamos conversar". Resolvemos por texto mesmo: ela disse que gostava de outra pessoa, e que se sentia culpada namorando comigo com interesse em outro. Aceitei, triste, e demos um tempo. 2 dias depois, um amigo me manda uma foto no perfil de um rapaz, que era o mesmo que ela gostava: ambos deitados, ela de top e ele sem camisa, e uma descrição bem...insinuante. Óbvio que eu pirei, liguei para ela, tivemos uma baita discussão, mas, depois disso, esfriou. Acabamos nos vendo, e ficando de novo. Ela terminou com o rapaz, mas ainda jurava de pés juntos que aquela foto era uma coincidência, que ela não havia me traído, que jamais faria isso, que era íntegra. E ficamos uns bons 3 meses indo e voltando até que, em abril, ela me mandou um testamento contando tudo: numa segunda, ela estava na casa de uma amiga, com este rapaz e o cara que a amiga estava pegando. A amiga e o peguete dela começaram a dar uns amassos no local e, segundo ela, ela não conseguiu "resistir" e montou no cara. Uma traição espetacular, que até hoje eu uso como humor auto depreciativo. Fiquei em choque por um tempo, mas, contra os conselhos de todos, perdoei ela e voltamos a namorar. Mas não era a mesma coisa. Ainda era maravilhoso por um aspecto, mas, por outro, ela estava insegura com o relacionamento (dizia que se sentia culpada por ter "estragado tudo por um impulso") e eu estava inseguro com tudo, precisava de validação dela pra tudo, principalmente no que tangia sexo. Eu já era inseguro sexualmente antes, agora era 3x mais, então eu basicamente a induzi a me contar toda a experiência sexual dela com ele, até eu me sentir menos perdedor. No entanto, eu estava começando a me recuperar em junho, estava me reencontrando, entendendo que estava apertando ela desnecessariamente (uma amiga teve essa conversa esclarecedora comigo). Então, tanto como solidificação como um pedido de desculpas, eu planejei uma viagem para nós, no dia que ficamos pela primeira vez, que cairia num sábado. Disse para ela os planos, ela ficou elétrica, empolgada, começou a me mandar links do local, brincar com meus planejamentos e afins...e, na semana seguinte, pediu para terminar. Disse que nunca esteve certa sobre nós termos voltado, que ela ainda me amava, que ainda sentia tesão comigo, mas que não se sentia pronta para um relacionamento sério, e "não queria me magoar". Aceitei, até mantive o contato, pq, nesse meio tempo, ela virou a minha melhor amiga. Mas o mesmo amigo da vez anterior me mandou um print de uma conversa dela com a irmã dele, dizendo que tinha terminado por estar afim de outro cara, e eu reconheci o sujeito: era um cara que ela falava horrores bem dele, "ah, fulano fez isso, fulano fez aquilo, me ajudou com x, um cara foda, faz não sei o que". Não sei se ela me traiu, mas tal conversa era de 1 dia e meio após termos terminado, e ela já havia ficado com tal cara. Não sei se ela me traiu de novo, mas a confrontei (não falei do meu amigo, obviamente, disse que a vi na rua) e ela manteve que não me traiu, mas que, dessa vez, poderia ficar com quem quisesse pq "fez a coisa certa". Eu disse que não conseguiria conversar com ela enquanto ainda tivesse sentimentos, ela disse que entendia, mas que queria saber de mim, que eu ainda era "o melhor amigo" dela.
Isso faz um mês e meio. Eu não consigo deixar de me sentir mal. Eu podia ter feito tanta coisa melhor, mas não fiz. Ela me traiu, possivelmente duas vezes, e tudo que eu consigo fazer é me culpar. Eu só não a chamei ainda pq imagino ela ficando com esse cara, que é melhor que eu em tudo: mais bonito, com uma barba farta de lenhador, com uma carreira já estabelecida, carro na garagem, mora sozinho e afins. O que me leva ao lado profissional: a sala da faculdade se reuniu para um churrasco há 3 semanas, estávamos conversando sobre empregos e eu concluí algo: apesar de que eu (e eu sei quão arrogante isso soa) ter feito que metade da sala ganhasse um diploma, eu sou o único dali sem um emprego minimamente fixo e tenho um salário que é o menor de todos, com vantagem. Todos falam que eu vou ganhar 3k, 4k logo, mas eu já cansei de tomar portadas de empresas. Gasto com passagem, gastei com um terno novo, gravata, e tudo que eu consegui foram muito obrigados, mas uma parcela da minha sala que literalmente não consegue entender que 50% e 0,5 são a mesma coisa (eu tive que ensinar manualmente regra de 3 simples e cálculo com números decimais quando estudamos Matemática Financeira) estão em empregos bons na iniciativa privada, comprando casas e carros. E, de todos ali, só uma me arrumou entrevista na empresa dela (que eu não consegui, principalmente por dita empresa estar num processo de fusão). Quatro conversam ocasionalmente, e o resto só entra em contato pedindo para que eu faça para eles provas de inglês de processos seletivos ou provas da faculdade (para os que ainda não se formaram).
Eu estou fazendo Contabilidade agora, vendo se consigo recomeçar, mas estou extremamente desiludido. Não sei o meu problema, mas o que eu imaginava quando entrei na faculdade não aconteceu. Eu sou um total fracassado no mercado de trabalho, e dificilmente vou conquistar algo além de pular de trabalho em trabalho de escritório, para tirar 2 salários e soltar rojão de alegria por não estar desempregado. Na verdade, eu já imaginava algo nessa linha desde o último semestre, mas, além da esperança mínima, eu carregava que iria ter uma família. Alguém me aceitava, alguém me amava. Hoje, eu vejo que nem isso. Nesse mês e meio pós-término, eu percebi como meu stock está horrorosamente baixo. Ouvi diretamente de uma estranha (no Tinder, vale dizer) como eu sou "feio, com cabelo estranho e roupas deprimentes". A maior parte dos meus amigos disse que eu vou achar alguém, mas só uma amiga me apresentou para alguém (Spoiler: eu quis levar pra amizade pq esta pessoa demonstrou 0 interesse romântico em mim, mas temos muitas afinidades de gostos. Não quero que alguém legal se perca só por não querer abrir as pernas pra mim em qualquer futuro).
Então, qual a conclusão? Para relacionamentos, eu sou a tempestade perfeita: meus gostos não são nada pop, meu estilo de roupa desagrada geral, minha voz é deprimente, eu sou lerdo, distraído, amo entrar em rants gigantes quando me empolgo (vide este texto) e, mesmo que alguma garota um dia resolva passar por isso tudo, o prêmio dela será ter de viver com sexo oral recheado por 30s de penetração, num dia bom. Nenhuma mulher no mundo quer se relacionar com um homem que precise fazê-la ter um orgasmo com masturbação pq não aguenta chegar a 1min de penetração. Ou seja, eu até posso tropeçar em alguma peguete (sim, essa é a palavra, tropeçar. Um incidente do acaso, como foi com a minha ex), mas nenhuma jamais chegará a ser de longo prazo. Dificilmente eu terei uma família. E, sem uma família, não há nada para contrabalancear o fato de que eu sou um fiasco profissional. O "menino gênio" do colégio, o "cara que vai ganhar 7000 daqui 3 anos" da faculdade nada mais era que uma pessoa com um par de neurônios no meio de um grupo de pessoas com bases educacionais mais fracas que a minha e, principalmente, sem interesse algum em estudar. Numa sala focada, eu teria de me esforçar para estar no meio do pelotão. Eu sou mediano intelectualmente e, profissionalmente, sou um lixo que não conseguiu fazer networking na faculdade e, hoje, irá ter de viver de escritório em escritório, sem nenhum breakthrough.
Minha vida parece estar desenhada para ser a definição de um fiasco, de um total e completo desperdício de oxigênio. Mas eu tenho uma missão: cuidar dos meus pais. Ambos dependem demais de mim psicologicamente, ambos me amam mais do que qualquer outra coisa. Sem a minha presença aqui, a vida dos dois colapsaria. Sinto que eu só vim ao mundo para ser o pilar da vida de ambos. Então, eu tenho que ir empurrando a minha vida enquanto ambos estão vivos, tentando ao máximo não embaraçar eles mais. Decidi que vou viver a vida no limite nesse meio tempo: finalmente comecei a fazer academia (minha postura sempre foi torta e, nos últimos 2 meses, eu ganhei peso. Quero eliminar essa pança antes que ela vire um problema), fui ao Maracanã mês passado ver a ida da Copa do Brasil (sou de MG), devo receber uma indenização boa quando sair daqui e estou planejando um mês de curso de inglês na Europa (meu inglês é bom, mas não é perfeito e isso sempre me incomodou horrores, sem falar que conhecer a Europa é O sonho que eu tenho de vida). Será o meu maior highlight, e a única loucura que eu me permiti fazer. Quando voltar, vou fazer o que gosto e, mais importante, vou cuidar dos meus pais, de tudo que eles precisarem de mim.
Não sei o que o futuro reserva pra mim, mas, pensando com lógica, eu devo chegar nos meus 35/40 anos quando ambos meus pais falecerem. Quando isso acontecer, serei um solteiro entrando na meia idade, possivelmente com pouca experiência sexual que não envolva garotas de programa, num emprego pouco satisfatório e sem nenhum amor que tenha sido recíproco e que não acabe na mulher se cansando de um cara patético e percebendo que praticamente qualquer coisa é melhor que eu. Será covardia, alguns sentirão tristeza, mas será temporário, todos irão superar, e haverá um pouco mais de oxigênio no mundo.
A minha mente ainda tenta, em alguns momentos, achar alguns cenários de ilusão, de que algum milagre irá acontecer, mas não irá. Eu sei que não. Profissionalmente eu fracassei. Academicamente eu fracassei. E, amorosamente, eu também fracassei. Vi que não basta achar alguém que aguente a minha personalidade, ela não irá suportar alguém que trata preliminares como Evento Principal, e eu irei morrer com esta condição.
Por mais paradoxal que seja, pensando assim eu estou aprendendo a abraçar o que eu gosto. Eu gosto de ler. Eu gosto de sair para comer e voltar para casa. Eu gosto de esportes. Eu gosto de escrever. Eu gosto de viajar. Não vou mudar o que eu gosto pelos outros, até porque será inútil, resolver um sintoma não cura a doença, e não há remédios o bastante para curar todos os sintomas dessa doença chamada eu. Fico feliz pelos meus pais existirem, pq, se não fosse por eles, eu teria sido um fiasco absoluto em vida. Fico feliz pelo meu último namoro, pq eu nunca me senti mais feliz do que numa tarde de sábado, quando ela disse "te amo" pouco antes de cochilar no meu peito. Eu fui feliz com o amor, e, por causa dela, eu aprendi que todo relacionamento que eu entrar, obrigatoriamente, terá um fim unilateral. Eu vou ser feliz com meus outros desejos, concluir meus hobbies, fazer o que eu gosto, e cuidar de quem me ama incondicionalmente, até o fim deles. Dali, serei eu que terei meu livramento.
Eu precisava contar isso pra alguém, mas não quero que tratem isso como um pedido de ajuda, pq não é. Meu real objetivo de vida sempre foi ter uma família minha, ter um filho em uma casa estruturada e passar meu conhecimento adiante. Eu já sei que, por questões psicológicas e físicas, isso jamais acontecerá. Quando meus pais se forem, eu literalmente não terei mais o que fazer aqui e, se tudo der certo, eu terei realizado ao menos uma parcela boa dos meus outros sonhos. Eu estou tranquilo quanto a isso. Talvez ainda sinta, de novo, a dor de ver alguém me trocando por outra pessoa melhor, mas agora eu sei que isso acontecerá. Doerá menos, eu espero. E, se nem isso eu conseguir, bem...dois salários por mês dá para pagar por sexo.
De novo, desculpem pelo texto gigante.
tl;dr: Todos confiavam em mim, todos achavam que meu futuro seria brilhante. Meu futuro será medíocre, patético e, ao menos, tem uma data para acabar
submitted by botafora01 to desabafos [link] [comments]


2016.03.14 21:45 pokasideias Casar virgem

Eai Redditors,
Queria uma opinião sobre um assunto que vem me perseguindo a um tempo, eu namoro uma garota a quase 1 ano basicamente, oficialmente é menos mas enfim. Nesse tempo, nos conhecemos bastante, nos gostamos muito, todo fim de semana saímos e durante a semana quando dá, nos nos vemos. Acontece que ela é religiosa e eu ateu declarado. Ela já me deixou claro que ela gostaria muito de casar virgem, e por isso logo-se entende que nunca fizemos sexo de fato, já fizemos de tudo menos o dito cujo em si. Respeito isso muito nela e nunca forcei ela a nada, mas como ateu eu não consigo entender isso muito bem esse lance todo de se preservar e tal. O negócio é que isso vem me incomodando um pouco, visto que ambos somos novos e não passa na minha cabeça casar agora (nem pelos próximos anos no mínimo), logo, não há perspectiva de sexo pra mim, vejo isso como um limitador da nossa relação, ao passo que gosto muito dela também.Tenho medo que isso limite de fato nossa relação, ou de que eu deixe de gostar ou manter a relação com ela por causa disso. Alguém já passou por algo parecido?
edit: terminei, ago/16. Não foi fácil
submitted by pokasideias to brasil [link] [comments]


Neps Academy - Problema Namoro Online